Ai se em Outubro chovesse

a terra molhasse

o milho crescesse

e a fome acabasse

Ai se o milho crescesse

a fome acabasse

o homem sorrisse

e a terra molhasse

Ai se o homem sorrisse

a terra molhasse

a fome acabasse

e a chuva caísse

Ai se um dia…

Acordemos camaradas

As chuvas de Outubro não existem!

O que existe

É o suor cansado

Dos homens que querem

O que existe

É a busca constante

Do pão que abundante virá

Homens mulheres crianças

Na pátria livre libertada

Plantando mil milharais

Serão a chuva caindo

Na nossa terra explorada

The following two tabs change content below.

Vera Duarte

Vera Valentina Benrós de Melo Duarte Lobo de Pina nasceu em Mindelo, S. Vicente, Cabo Verde. É Juíza Desembargadora, poeta e escritora, formada em Direito pela Universidade Clássica de Lisboa. Membro das Academias Cabo-verdiana de Letras, de Ciências de Lisboa, Gloriense de Letras. Foi Ministra de Educação Ensino Superior, Presidente Comissão Nacional Direitos Humanos e Cidadania, Conselheira do Presidente da República e Juíza Conselheira do Supremo Tribunal de Justiça. Integrou organizações como Centro Norte-Sul Conselho d`Europa, Comissão Internacional Juristas, Comissão Africana Direitos do Homem e Povos, Associação Mulheres Juristas e Federação Internacional de Mulheres de Carreira Jurídica. Recebeu várias condecorações É poeta e autora de vários romances.

últimos artigos de Vera Duarte (ver todos)

Partilhar