Macau, China, 16 fev 2022 (Lusa) – O Instituto Cultural (IC) de Macau publicou uma coletânea dos primeiros relatos escritos no século XVI por portugueses que visitaram a China, traduzidos para chinês.

A ‘Antologia dos Viajantes Portugueses na China’ inclui textos dos missionários católicos São Francisco Xavier, Melchior Carneiro Leitão e Gaspar da Cruz, do feitor João de Barros e do soldado Galeote Pereira, assim como excertos da ‘Peregrinação’, de Fernão Mendes Pinto.

Num comunicado, o IC sublinhou que o objetivo é permitir aos leitores chineses “compreender melhor” tanto a história da chegada dos portugueses à China como a imagem da dinastia Ming aos olhos dos ocidentais.

Os relatos foram traduzidos por Wang Suoying, pioneira da introdução do ensino da língua chinesa como unidade curricular nas universidades portuguesas, na década de 1990.

A professora na Universidade Nova de Lisboa e na Universidade de Aveiro, natural de Xangai, vive há mais de 20 anos em Portugal.

Wang Suoying e o marido, Lu Yanbin, são também autores de diversos manuais escolares, entre os quais um Dicionário Conciso de Chinês-Português.

Em 2014, o casal integrou a lista das dez figuras homenageadas na gala “a Luz da China”, uma iniciativa do ministério da Cultura chinês, na primeira distinção do género atribuída a personalidades ligadas a Portugal.

Wang Suoying foi também a primeira presidente da Associação Portuguesa dos Amigos da Cultura Chinesa, formada em 2018 para “promover a compreensão e a amizade” entre Portugal e China.

Foi durante a dinastia Ming, que governou a China de 1368 a 1644, que Portugal obteve o reconhecimento formal, em 1557, da base comercial portuguesa estabelecida em Macau.

VQ // JMC – Lusa/Fim

Partilhar