O projeto teve sua 2ª edição lançada no dia 29 de agosto e as apresentações são sempre realizadas pelo grupo teatral XPTO, de São Paulo (SP).

Segundo o diretor da Escola Estadual Arlindo de Andrade Gomes, Miguel Gomes Filho, a interação da peça com os alunos proporcionou um ambiente agradável e fácil entendimento. “O aluno acaba memorizando com facilidade por conta de toda a dinâmica da peça, sem contar as canções que encantam a todos. Durante o dia a dia, em sala de aula, por meio dos livros, os alunos acabam não prestando a atenção devida e, consequentemente, não absorvem o conteúdo de maneira correta”, disse.

A aluna Marina Lima, 19 anos, conta que já participou de gincanas sobre a nova ortografia, mas que nada se compara a apresentação de hoje. “É muito divertido e fácil de memorizar, não teria outra maneira de aprendermos as regras do que esta”, disse. O estudante Caique Medeiros Bernardo, 17 anos, garante que a iniciativa prendeu sua atenção. “Em sala de aula não conseguimos entender tudo ao mesmo tempo, mas aqui sim”, disse. Já a aluna Naiara Pacheco, 20 anos, conta que há anos não assistia uma peça tão explicativa e divertida. “Não sabia como era bom aprender com humor. A apresentação abre a nossa mente e oportuniza a busca pelo conhecimento e aprimoramento da escrita”, destacou.

O projeto – Além das apresentações artísticas do grupo XPTO, o projeto Na Ponta da Língua também vai distribuir milhares de cartilhas que explicam as mudanças na língua portuguesa. Ao todo serão contempladas 55 instituições de ensino públicas e privadas de 46 municípios de Mato Grosso do Sul, beneficiando 38 mil estudantes até dezembro deste ano. Ler o artigo completo.

 

Artigo relacionado:

Partilhar