O júri do Prémio Literário Karingana Wa Karingana/Universidade do Minho foi presidido pelo escritor Mia Couto e constituído por três individualidades moçambicanas e três portuguesas, tendo a deliberação sido por unanimidade. A iniciativa teve apoio do Ministério da Educação de Moçambique, da Fundação Calouste Gulbenkian, da Fundação Carlos Lloyd Braga e do Instituto Camões. O prémio tem um valor monetário superior a 30.000 euros (engloba propinas, alojamento e mensalidade), o que o torna um dos maiores galardões literários criados em Portugal.

Margarida Joaquim Francisco concorreu com o conto inédito ‘O sonho de Marília’ Ler o artigo completo

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar