Esta nomeação “traduz o interesse que o Governo coloca na clarificação de mecanismos que irão facilitar a internacionalização das universidades e dos institutos politécnicos (…) têm apresentado nos últimos anos, declara João Guerreiro, nomeado pelo ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Poiares Maduro, e pelo ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato. 
O programa do governo estabelece como objetivo, no âmbito do ensino superior, a necessidade de se proceder “à racionalização da rede de instituições e sua internacionalização”, a qual se encontra ligada à qualidade e à competitividade de Portugal, tendo sido identificada como área prioritária a mobilidade, lê-se na nota de imprensa da UALg. 
João Guerreiro é licenciado em Geografia pela Universidade de Lisboa, Master of Science em Ordenamento Rural e Ambiente, doutor em Ciências Económicas e Agregado em Economia Regional pela UALg, foi coordenador do Centro Regional para a Inovação do Algarve e presidente da Comissão de Coordenação da Região do Algarve. 
O grupo que vai coordenar é composto por José Adelino, professor da Universidade Nova de Lisboa, Nuno Venade, assessor do ministro Poiares Maduro, Ricardo Morgado da Costa, assessor do secretário de Estado do Ensino Superior e Ana Mateus, da Direção Geral do Ensino Superior. 
No despacho de nomeação, refere-se que “importa (…) delinear uma estratégia de internacionalização do ensino superior português (…) designadamente, no que respeita à utilização para este efeito de fundos europeus estruturais e de investimento no âmbito do futuro Programa ‘Portugal 2020’ que exige uma preparação cuidada e rigorosa, sobretudo quanto à sua contextualização, otimização e atualização, bem como a sua coordenação com outras fontes de financiamento no quadro nacional, europeu e internacional”.

Fonte: Diário online

João Guerreiro vai coordenar a definição da estratégia de internacionalização do Ensino Superior

O ex-reitor da Universidade do Algarve, João Guerreiro, foi nomeado pelo ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Luís Miguel Poiares Maduro, e pelo ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, coordenador do grupo de trabalho que tem por objeto a conceção da estratégia de internacionalização do ensino superior português.

O Programa do XIX Governo Constitucional estabelece como objetivo, no âmbito do ensino superior, a necessidade de se proceder «à racionalização da rede de instituições e sua internacionalização», a qual se encontra ligada à qualidade e à competitividade de Portugal, tendo sido identificada como área prioritária a mobilidade, no que toca designadamente a «manter os programas de mobilidade, encorajando a internacionalização de estudantes e professores sobretudo nas áreas em que ela seja mais incipiente».

Também a Comissão Europeia, na Comunicação «O Ensino Superior Europeu no Mundo» apresentada ao Parlamento Europeu, ao Conselho, ao Comité Económico e Social e ao Comité das Regiões, a 11 de julho de 2013, refere que «desenvolver uma estratégia global de internacionalização significa, acima de tudo, posicionar as Instituições de Ensino Superior (IES), os seus alunos, investigadores e pessoal, e os sistemas nacionais, ligados às várias atividades relevantes relacionadas com a investigação, a inovação e o ensino superior, num plano mundial, de acordo com o seu perfil individual, as necessidades do mercado de trabalho e a estratégia económica do país».

O Despacho de nomeação, publicado em Diário da República, 2ªsérie, de 12 de março, refere que “importa, assim, delinear uma estratégia de internacionalização do ensino superior português, a qual, dando suporte às decisões que o Governo pretende tomar nesta matéria, designadamente, no que respeita à utilização para este efeito de Fundos Europeus Estruturais e de Investimento no âmbito do futuro Programa ‘Portugal 2020’que exige uma preparação cuidada e rigorosa, sobretudo quanto à sua contextualização, otimização e atualização, bem como a sua coordenação com outras fontes de financiamento no quadro nacional, europeu e internacional.”

Para João Guerreiro esta nomeação “traduz o interesse que o Governo coloca na clarificação de mecanismos que irão facilitar a internacionalização das universidades e dos institutos politécnicos, e responde a um conjunto de reflexões que aquelas instituições, através do CRUP, do CCISP e da APESP, têm apresentado nos últimos anos. O ensino superior não só poderá ampliar a sua participação no fluxo de serviços que são exportáveis, como também deverá valorizar o recente desempenho ímpar na área da produção de ciência, o crescente relacionamento externo, a afirmação de um multiculturalismo e também, no âmbito da CPLP, a reforço da importância global da língua portuguesa”.

O grupo de trabalho coordenado por João Guerreiro é ainda composto por José Manuel Trindade Neves Adelino, professor da Universidade Nova de Lisboa; Nuno Ribeiro de Matos Venade, assessor do Ministro Miguel Poiares Maduro, Ricardo Jorge Morgado da Costa, assessor do Secretário de Estado do Ensino Superior; Ana Isabel Saiote Furtado Mateus, da Direção Geral do Ensino Superior. Ler o artigo completo.

 

Fotos: João Guerreiro durante a conferência “Língua Portuguesa, Sociedade Civil e CPLP”, realizada em Faro, em 11 de outubro de 2013

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar