Na sessão, realizada no Palacete Seixas, sede do instituto, com a presença dos secretários de Estado das Comunidades, José Cesário, e da Cultura, Jorge Barreto Xavier, e dos embaixadores de Portugal em diversos países, a responsável apresentou os sete programas previstos: Arte e Cidades, Casa dos Estudantes do Império, Design e Indústrias Criativas, Primeira Guerra Mundial e as Artes, Ciclos Comemorativos, “Portugal te marca” — América Latina e Rede de Bibliotecas Camões.

No âmbito do programa Arte e Cidades, que decorrerá em Nova Iorque, Varsóvia, Luanda, S. Paulo e Sydney, haverá ciclos de cinema, como o NY Portuguese Short Film Festival, espetáculos de artes performativas e atividades relacionadas com literatura.

Em parceria com a UCCLA — União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa, o Camões organizará este ano uma exposição sobre a Casa dos Estudantes do Império (1944-1965) e editará duas Antologias de Poesia; numa parceria com a Cátedra Eduardo Lourenço, da Universidade de Bolonha, propõe um ciclo de cinema subordinado ao tema “Pensar o Império”, uma mostra sobre Arquitetura Moderna em África e também concertos, na rubrica Sons de África.

Quanto ao terceiro programa, destinado à promoção do design português e das novas tecnologias para a cultura, o destaque vai para a aposta na divulgação da ação cultura externa do Camões através das redes sociais, com a apresentação de uma nova aplicação, a EUNIC App, e também com o lançamento da Revista Camões n.º 23 dedicada ao design português.

Do quarto programa, a Primeira Guerra Mundial e as Artes, constará uma exposição resultante de uma parceria com a Casa Fernando Pessoa e comissariada por Antonio Cardiello, Jerónimo Pizarro e Sílvia L. Costa, intitulada “Nós os de Orpheu” e composta por um núcleo de 22 painéis e por um audiolivro.

“Almada por contar” será o nome de outra mostra do mesmo programa, também comissariada por Sílvia L. Costa, bem como por Sara Afonso Ferreira e Simão Palmeirim, constituída por um núcleo de 21 cartazes, que poderão ser impressos e expostos em diferentes pontos do mundo.

Igualmente no âmbito deste programa, estará patente uma exposição sobre Portugal e a I Guerra, comissariada pelo académico Miguel Jerónimo e composta por espólios fotográficos de arquivos nacionais (cerca de 80 fotografias), cartazes, reproduções de fotografias originais e bibliografia alusiva ao tema, estando ainda prevista a realização de um ciclo de cinema.

Quanto a Ciclos Comemorativos, assinala-se, a 05 de maio, o Dia Internacional da Língua Portuguesa e da Cultura da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), que será celebrado com um programa multidisciplinar composto por uma exposição sobre “O Potencial Económico da Língua Portuguesa”, cinema — o FESTIN (Festival Itinerante de Língua Portuguesa) e diversas atividades relacionadas com o livro e a leitura, para as quais o Camões aguarda ainda propostas de entidades que queiram participar.

Outra efeméride que este ano se comemora são os 500 Anos do Encontro entre Timorenses e Portugueses, que será festejada com feiras do livro em diversos distritos, reedição da obra do poeta Ruy Cinatti “Arquitetura Timorense”, produção de documentários sobre as “Memórias de Timor-Leste”, pela Fundação Max Stahl.

O último ciclo comemorativo deste programa assinalará os 500 Anos das Relações Diplomáticas Portugal-Etiópia, com uma mostra intitulada “Etiópia Portugal, 1954-2014”, um ciclo de palestras sobre a histórica relação entre os dois países e um seminário internacional subordinado ao tema “Etiópia e as Culturas do Índico”.

Em sexto lugar, surge o programa “Portugal te marca”, uma parceria do Instituto Camões com o IPDAL (Instituto para a Promoção e o Desenvolvimento da América Latina) que promoverá a música, a literatura e o cinema portugueses em diversos países latino-americanos e inaugurará igualmente a exposição “Portugal te marca”, com fotografias de Luísa Ferreira.

Sobre o sétimo programa para 2015, a Rede de Bibliotecas Camões, a presidente do instituto explicou que “a implementação do catálogo bibliográfico integrado Biblio.NET Camões já foi iniciada” mas que espera “que fique concluída este ano”.

Vista parcial da sede do Camões,  Instituto da Cooperação e da Língua. ANTONIO COTRIM / LUSA

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar