O Observatório da Língua Portuguesa felicita o Ciberdúvidas da Língua Portuguesa no dia em que faz 25 anos.

Em 15 de janeiro de 1997, quando começavam na Internet a multiplicar-se os usos orais e escritos em português, surgia o Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, por iniciativa de João Carreira Bom (1945-2002) e José Mário Costa. A primeira Abertura fixava já o grande objetivo do novo espaço digital: «[dar] respostas às mil e uma dúvidas de quem escreve, fala ou trabalha com o português», para «esclarecer, clarificar, facilitar – mas sem substituir, nunca, o que só a Gramática ensina e o Dicionário ou um qualquer prontuário podem auxiliar». O firme propósito normativo era conjugado, de forma inovadora, com a reivindicação de uma perspetiva dinâmica, de abertura às especificidades dos países de língua portuguesa, onde vivem mais de 200 milhões de falantes. Volvidos 25 anos, é extraordinariamente positivo e compensador o balanço da proposta do Ciberdúvidas, graças à recetividade dos consulentes dos quatro cantos do mundo, sempre muito participativos, não só para pedir ajuda, mas também para dar sugestões, partilhar reflexões ou manifestar enorme apreço pelo serviço aqui prestado. De tudo isto dá conta Carla Marques em O Nosso Idioma, salientando a vitalidade e a pertinência do projeto, bem como a diversidade de públicos que, para conhecer melhor a nossa língua comum, leem os conteúdos das diferentes rubricas do Ciberdúvidas – nomeadamente o Consultório e todas as demais rubricas que se reúnem em O Português na 1.ª Pessoa, nas Atualidades (incluindo a Montra de Livros) e em Outros (onde se destaca a Antologia). O 25.º aniversário do lançamento do Ciberdúvidas é, pois, uma grata comemoração, que a equipa editorial dedica a quem dá sentido ao trabalho por ela desenvolvido: os falantes e as comunidades que a língua portuguesa tem unido na sua diversidade.

Saiba mais

Partilhar