Luaty Beirão numa palestra em Óbidos, a 11 de Dezembro de 2016.

A lista dos 100 nomeados foi hoje divulgada em Lisboa numa iniciativa promovida em conjunto com a EGEAC – Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural.

As 100 personalidades foram escolhidas por “através da sua arte, ofício ou associativismo, promoverem a excelência nas suas respetivas áreas de atuação, bem como impulsionam um sentido de representatividade e de pertença entre a comunidade negra lusófona”, disse à Lusa Vanessa Sanches, cofundadora da Bantumen.

A iniciativa, que a revista pretende que seja anual, visa “dar importância à lusofonia num sentido circular”.

“Torna-se importante desconstruir a narrativa que tende a colocar Portugal sempre no topo da pirâmide, como emissor de informação e influência em todos os quadrantes sociais, sobretudo em relação aos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa”, defende Sanches.

Mayra Andrade

Os nomeados “são apenas um pequeno número representativo da excelência entre esta comunidade e que merece ser conhecida do grande público”, acrescentou Vanessa Sanches.

Além do ativista Luaty Beirão, a cantora Mayra Andrade e a escritora Paulina Chiziane, a lista integra ainda a jornalista Conceição Queiroz (Portugal/Moçambique), a ativista Myriam Taylor (Portugal) e a estilista Roselyn Silva (Portugal/São Tomé e Príncipe).

O dirigente da SOS Racismo Mamadou Ba (Portugal), a deputada Joacine Katar Moreira (Portugal), a atleta Patrícia Mamona (Portugal) e o sociólogo Miguel de Barros (Guiné-Bissau) também constam da lista.

Paulina Chiziane

Fazem ainda parte da lista o músico e ativista Kalaf (Angola), o empreendedor e cofundador do Movimento Black Money Alan Soares (Brasil), a coreógrafa Marlene Monteiro (Cabo Verde), o futebolista Ansu Fati (Guiné-Bissau), o atleta Reinildo Mandava (Moçambique), o atleta Pedro Pichardo (Portugal), o artista Dino d’Santiago (Portugal/Cabo Verde), e o duo artístico musical Os Calemas (São Tomé e Príncipe).

No total, foram nomeados 17 nomes em representação de Angola, 17 do Brasil, 15 de Cabo Verde, nove da Guiné-Bissau, 10 de Moçambique e sete de São Tomé e Príncipe, além de 25 de Portugal.

EL // LFS – Lusa/Fim

Partilhar