Uma série de eventos vão assinalar a cidade de Luanda, capital da República de Angola, como «Capital da Cultura da CPLP», entre 29 e 5 de maio de 2022, em formato híbrido, com atividades temáticas presenciais e em formato virtual.

No âmbito estatutário, vão decorrer a XI Reunião de Ministros do Turismo da CPLP e a XII Reunião de Ministros da Cultura da CPLP, respetivamente, a 3 e 4 de maio de 2022.

No dia 5 de maio, está em agenda a cerimónia solene de celebração do Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP e Dia Mundial da Língua Portuguesa. O programa previsto da «Capital da Cultura da CPLP – Luanda 2022» contempla, também, atividades culturais performativas nas áreas da música, dança, teatro, cinema e exposições.

De igual forma, enquanto espaço de encontro e de promoção da diversidade de expressões culturais, prevêem-se ainda iniciativas de carácter reflexivo sobre a gastronomia típica de cada Estados-Membro, a Cultura e a Língua Portuguesa. Estas atividades serão materializadas através da realização de um Ciclo de Debates, do Encontro de Escritores, do Encontro das Academias de Letras da CPLP, do Mercado Cultural da CPLP (feira de produtos culturais), de uma Feira do Livro e de uma Feira Gastronómica.

A realização da «Capital da Cultura da CPLP» ambiciona o reforço dos laços históricos, de promoção da diversidade cultural e da Língua Portuguesa, reafirmando a importância da cultura na relação e na aproximação entre os povos dos Estados-Membros da CPLP. O Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente de Angola, no âmbito do exercício da presidência rotativa da CPLP, assume a coordenação e organização da Capital da Cultura da CPLP – Luanda 2022, tendo sido criada uma Comissão Organizadora com representantes de todos os Estados-Membros da CPLP, designadamente, os pontos focais da Cultura, entidades das Direções Gerais das Artes ou estruturas nacionais congéneres.

Recorde-se que, em 2014, em Maputo, a IX Reunião de Ministros da Cultura da CPLP decidiu instituir a «Capital da Cultura da CPLP» como iniciativa a implementar no âmbito da cooperação cultural multilateral e estabeleceram que o Estado-Membro que detém a Presidência em exercício da Organização Internacional vai acolher o evento na vigência do seu mandato.

Partilhar