Lisboa, 24 set (Lusa) – Seleção de frases do Presidente de Angola, João Lourenço, ao longo do primeiro ano do seu mandato como chefe de Estado:

“Neste novo ciclo político que hoje se inicia, legitimado nas urnas, a Constituição será a nossa bússola de orientação e as leis o nosso critério de decisão. Uma vez investido no meu cargo, serei o Presidente de todos os angolanos e irei trabalhar na melhoria das condições de vida e bem-estar de todo o nosso povo.”

João Lourenço, na tomada de posse como Presidente angolano

26-09-2017

“Angola dará primazia a importantes parceiros, tais como Estados Unidos da América, República Popular da China, a Federação Russa, a República Federativa do Brasil, a Índia, o Japão, a Alemanha, a Espanha, a França, a Itália, o Reino Unido, a Coreia do Sul e outros parceiros não menos importantes, desde que respeitem a nossa soberania.”

26-09-2017

“A corrupção e a impunidade têm um impacto negativo direto na capacidade do Estado e dos seus agentes executarem qualquer programa de governação. Exorto por isso todo o nosso povo a trabalhar em conjunto para extirpar esse mal que ameaça seriamente os alicerces da nossa sociedade.”

26-09-2017

“Nós confiamos na vossa capacidade. É evidente que é cedo para concluir se acertamos na composição deste executivo (…) Será pelo nosso trabalho, pelos nossos resultados, que a sociedade nos vai julgar e concluir, daqui a algum tempo, se, efetivamente, este foi ou não o melhor executivo escolhido.”

Na cerimónia de posse de 32 ministros

30-09-2017

“O nosso país encontra-se numa situação económica e financeira difícil, resultante da queda dos preços do petróleo no mercado internacional e da consequente liquidez em moeda externa.”

Na sessão solene de abertura da primeira sessão legislativa da IV Legislatura

16-10-2017

“Precisamos de boas políticas neste setor dos diamantes. Políticas que atraiam os grandes investidores, as multinacionais do diamante, de forma a que elas se sintam motivadas a investir no nosso país, a exemplo do que fazem em outras partes do mundo.”

30-10-2017

“Não há democracia sem liberdade de expressão, sem liberdade de imprensa. Direitos consagrados na nossa Constituição e que o executivo angolano, primeiro do que quaisquer outras instituições do Estado angolano, tem a obrigação de respeitar e cumprir.”

14-11-2017

“[Que a Sonangol] Continue a ser, para a nossa economia, a galinha dos ovos de ouro. Eis a razão por que fazemos este apelo, para que cuidem bem dela.”

Na cerimónia de posse dos novos administradores da Sonangol

16-11-2017

“Esperamos que a tão falada impunidade nos serviços públicos tenha os dias contados. Não é num dia, naturalmente, que vamos pôr fim a essa mesma impunidade, mas contem com a ajuda de todos e acreditamos que, paulatinamente, vamos, passo a passo, caminhar para a redução e posteriormente a eliminação da chamada impunidade.”

23-11-2017

“Há divisas em Angola, pelo menos em Luanda, só que estão fora das instituições próprias que deviam ter o controlo delas. [As divisas] não estão nos bancos, mas estão em locais perfeitamente identificados, mas que por razões que desconhecemos, todo o mundo sabe e ninguém faz nada.”

26-11-2017

“Estamos otimistas que 2018 será um ano melhor para o país, para as empresas, mas sobretudo para as famílias e para os cidadãos em geral.”

28-12-2017

“Nós não somos juízes, não temos competência para dizer se o engenheiro Manuel Vicente cometeu ou não cometeu o crime de que é acusado. Isso que fique bem claro. (…) Lamentavelmente [Portugal] não satisfez o nosso pedido, alegando que não confia na Justiça angolana. Nós consideramos isso uma ofensa, não aceitamos esse tipo de tratamento e por essa razão mantemos a nossa posição.”

08-01-2018

“O que pretendemos é que o país tenha refinaria, ou refinarias, para que a atual fase que vivemos, de importação de derivados do petróleo, seja atirada para o passado. Eu sei que é possível e que podemos no próximo ano, em 2018, se trabalharem bem e rápido, dar pelo menos início à construção de uma refinaria para Angola.”

19-02-2018

“Conversei na manhã de hoje com o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa na sequência da decisão do Tribunal da Relação de Lisboa [de transferir para a justiça angolana processo que envolve o ex-vice-presidente de Angola Manuel Vicente]. Felicitámo-nos pelo feliz desfecho do caso e reiterámos a vontade de seguir em frente com a cooperação entre os nossos dois países.”

Twitter, 11-05-2018

“Esta deve ser uma oportunidade que o senhor ministro com certeza não perderá para mexer naqueles funcionários sem qualificações, que foram nomeados apenas por serem familiares ou de alguma forma protegidos deste ou daquele político.”

Na abertura da VIII reunião de embaixadores de Angola no exterior

23-05-2018

“As relações com Portugal vão bem. Estamos ansiosos em receber o primeiro-ministro, António Costa, em Luanda.”

01-06-2018

“Estamos numa verdadeira cruzada contra a corrupção e impunidade, cujos resultados positivos não tardam a chegar.”

04-06-2018

“Sabemos que a empresa [TAAG, companhia aérea de bandeira] está sobredimensionada em termos de mão-de-obra. Procure encontrar uma solução de equilíbrio que defenda os interesses do Estado, mas que defenda também os interesses dos trabalhadores, porque afinal são chefes de família.”

Na posse do novo ministro dos Transportes

21-06-2018

“As relações entre Angola e a União Europeia e o Parlamento Europeu são antigas, com algumas décadas já. Temos questões de interesse comum a discutir, nomeadamente (…) questões de segurança, de necessidade de combate ao terrorismo e, sobretudo, necessidade de controlarmos a imigração que se vem verificando nos últimos anos e que em nada nos honra, antes pelo contrário, nos envergonha.”

04-07-2018

“Apesar de os nossos países poderem colaborar com outras organizações, é importante que a CPLP defina um escopo de colaboração realista, de modo a não alargar o âmbito da sua ação, devendo sempre agir no estrito respeito das regras internas de funcionamento dos Estados que a integram.”

Na abertura da XII conferência de chefes de Estado e de Governo da CPLP

17-07-2018

“Em 11 meses não é possível fazer-se o que deve ser feito num mandato de cinco anos. Modéstia à parte, [neste período] muito foi feito.”

23-08-2018

“Não estamos a falar de um resgate como o que aconteceu noutros países europeus, como Portugal ou a Grécia. Não é disso que se trata, é um outro tipo de ajuda financeira, que não tem a gravidade que tem um programa de resgate.”

Sobre o pedido de assistência financeira ao Fundo Monetário Internacional

23-08-2018

“Vemos com bons olhos a implantação de pequenas e médias empresas portuguesas no mercado angolano, dentro de uma lógica em que se estabeleçam no nosso país para produzir riqueza que resulte em benefícios importantes para ambos.”

18-09-2018

“Devo dizer que, na altura, havia uma razão evidente para esse mal-estar que existia nas relações entre os dois países [devido ao ‘caso Manuel Vicente’]. A situação foi, felizmente, ultrapassada, o bom senso acabou por prevalecer e aí devo destacar a postura irreparável demonstrada pelos dois executivos [português e angolano].”

18-09-2018

“Portugal é importante para Angola, assim como Angola é importante para Portugal. É consciente desta realidade que recebemos em Luanda, hoje, o primeiro-ministro Costa.”

18-09-2018

Lusa/Fim

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar