Este projecto que ficará disponível a partir de Setembro, inclui materiais pedagógicos para o ensino e a aprendizagem da língua portuguesa, tais como exercícios interactivos, com base nos programas de português dos ensinos básico e secundário, devidamente adaptados ao que é ministrado nas escolas norte-americanas onde se lecciona a língua portuguesa.

A Ciberescola funcionará através de um canal de comunicação com os respectivos professores, com disponibilização de material didáctico de apoio e de um sistema de correspondência escolar via Internet entre alunos de turmas de escolas secundárias portuguesas e alunos de escolas secundárias dos Estados Unidos que tenham o português como disciplina.

Proporcionará ainda a organização de cursos de Português Língua Estrangeira on-line, bem como a criação de uma Biblioteca Digital, com autores lusófonos. 

Ao mesmo tempo que é anunciado o apoio da FLAD a este projecto, os CTT, Correios de Portugal deixaram de apoiar o Ciberdúvidas, alegando cortes orçamentais impostos pelo Governo. O serviço prestado graciosamente pelo Ciberdúvidas, à volta da língua portuguesa, era garantido pelos CTT, conjuntamente pela Fundação Vodafone e a Universidade Lusófona, que assegura as instalações deste projecto sem fins lucrativos, criado pelos jornalistas João Carreira Bom (já falecido) e José Mário Costa.

O Ciberdúvidas conta com 2, 5 milhões de visitas mensais, sobretudo ao consultório linguístico com um arquivo de 30 mil respostas a dúvidas sobre a língua portuguesa.

 

FONTE: O Público

Partilhar