3 March 2021
Uma avó de 77 anos com sua família em Ziguinchor, sul do Senegal, quarta-feira, 02 de agosto de 2006. EPA / Pierre Holtz

Ensino do Português no Senegal

Promover seminários sobre o ensino e a aprendizagem de Português – Língua Estrangeira no sentido de aperfeiçoar a performance dos professores senegaleses é um dos objetivos de Samba Ndiaye, recém-doutorado do Instituto de Educação da Universidade do Minho. O trabalho desenvolvido por este investigador é pioneiro na área e adquire importância pelo facto de existirem já mais de 25.000 falantes de português no Senegal, meio século após a implementação da nossa língua neste país africano.

Estes cursos de capacitação poderão servir a docentes que necessitam de formação contínua, materiais didáticos e conteúdos pedagógicos para melhorar o ensino da língua naquele país.
“Temos números muito significativos de falantes portugueses. A quantidade de iniciantes e docentes não deixou de crescer desde a introdução da língua de Camões no sistema educativo senegalês. Está a ganhar cada vez mais terreno, relevância e importância no percurso profissional e na vida em geral”, explica Samba Ndiaye.

A ideia foi retirada da sua tese de doutoramento “Importância do Português no Senegal”, desenvolvida na área de Ciências da Educação. A investigação procurou analisar os métodos de avaliação e os materiais utilizados durante o processo de aprendizagem, bem como descrever os contextos de ensino-aprendizagem do português no ensino básico. Introduzido pelo então presidente Leopold Senghor, o português é ensinado em 12 das 14 das regiões do Senegal
No último ano letivo, os ensinos médio e secundário contavam com cerca de 23.000 estudantes de português língua estrangeira.

FONTE: Correio do Minho

Também poderá gostar

Sem comentários