Bissau, 21 set 2021 (Lusa) – O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançou um projeto de digitalização do acervo do jornal estatal da Guiné-Bissau, “No Pintcha”, uma iniciativa de salvaguarda do património documental do país, foi hoje anunciado.

A operação será executada por técnicos da Biblioteca Nacional da Guiné-Bissau e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa (INEP).

De acordo com uma nota de imprensa do “No Pintcha” (Avante, em português), a iniciativa vai permitir preservar os documentos publicados no jornal desde 1975, tornando-os acessíveis online.

“Este projeto vai permitir salvaguardar 46 anos de história da Guiné-Bissau contidos nas páginas do mais antigo semanário do país”, refere ainda a nota do “No Pintcha”.

Tjark Egenhoff, representante do PNUD na Guiné-Bissau, enalteceu a importância da parceria como “algo que irá ajudar a salvaguardar a memória coletiva do país e ainda fortalecer os média”.

O Ministro da Educação da Guiné-Bissau, Cirilo Djaló, defendeu a importância de iniciativas que visem “a implementação de uma política sustentável de conservação e preservação do património documental” do país de forma a “garantir que as futuras gerações tenham acesso à história e ao legado dos antepassados”.

O lançamento do projeto foi também presenciado pelo ministro da Comunicação Social guineense, Fernando Mendonça, que considerou a parceria como “uma vitória partilhada”.

MB // VM – Lusa/Fim

Fonte: CustoJusto.pt

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar