Do total, seis mil deles falam mais de duas línguas. A fluência em pelo menos uma delas foi verificada em 57, 3% dos índios que vivem em terras indígenas reconhecidas. Fora delas, o índice cai para 12, 7%.

O português não é falado por cerca de 130 mil pessoas, ou 17, 5% do total.

De acordo com o levantamento, as regiões com maior percentual de línguas indígenas são a Norte – com maior número de terras indígenas reconhecidas até o dia 31 de dezembro de 2010 – e a Centro-Oeste. A Região Nordeste, com menor número de terras reconhecidas, apresentou menor proporção de falantes de língua indígenas, o que, segundo o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), João Pacheco de Oliveira, pode ser resultado da colonização.

“O Nordeste foi a primeira área de desembarque dos colonizadores no país, que proibiram os índios de falar suas línguas e impuseram a escravidão. Foi essa região que recebeu a frota de Cabral, que teve a primeira capital, os primeiros engenhos”, lembrou Oliveira.

A presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Maria Azevedo, disse que já existe um esforço de valorização da língua indígena por meio da educação, e que os dados inéditos do Censo 2010 favorecerão estratégias para mantê-las em prática.

“Os dados dão instrumentos para que os próprios indígenas possam reivindicar políticas com relação às suas línguas”, disse.

As etnias indígenas mais numerosas e a maior parte dos índios que ainda falam língua própria estão concentradas em terras indígenas reconhecidas pelo governo, segundo o censo. Ao todo, vivem nessas áreas 571 mil índios de 250 etnias, de um total de 896 mil.

Para a pesquisa, o IBGE contou com uma lista de mais de 500 nomes de etnias, catalogadas por especialistas e pela Fundação Nacional do Índio (Funai). Ao fazer as entrevistas, o instituto encontrou representantes de povos que se imaginava terem desaparecido, como os Tamoios, tradicionais do Sudeste, e confirmou a prevalência de outros, como os Charruás, no Sul, possivelmente oriundos da Argentina. Ler o artigo completo.