Lisboa, 28 nov 2022 (Lusa) – O Festival de cinema Itinerante da Língua Portuguesa – FESTin, que começa a 09 de dezembro, em Lisboa, vai assinalar os 200 anos da independência do Brasil e lembrar o escritor português José Saramago.

A 13.ª edição do FESTin está marcada de 09 a 14 de dezembro no Cinema São Jorge, embora a sessão oficial de abertura seja no dia 10.

Na abertura, está prevista uma homenagem a José Saramago, Nobel da Literatura, por ocasião do centenário do nascimento, “com leitura de poemas” pela atriz Alexandra Lencastre e pela comunicadora Sandra Pimenta, explicou à Lusa fonte da organização.

Ainda no dia 10, o FESTin exibe, em antestreia nacional, o documentário “Através dos seus olhos”, com a presença da realizadora brasileira Sonia Guggisberg.

A propósito dos 200 anos da independência do Brasil, o FESTin acolherá um debate sobre costumes e gastronomia, do ponto de vista da herança portuguesa no quotidiano da vida brasileira”, com o gestor cultural João Micael e o diplomata Renato Faria.

Na ocasião será exibida a curta-metragem “A independência é a nossa língua”, de Fernando Galrito, Francisco Lança, Maurício Squarizi e Wilson Lazaretti.

Segundo a direção do festival, até 14 de dezembro serão exibidos quase 40 filmes de Portugal, Brasil, São Tomé e Príncipe e Angola.

Além de Sonia Guggisberg, esta edição do festival contará com outros convidados, nomeadamente o realizador Halder Gomes, a atriz Maria Fernanda Cândido e o ator Chico Diaz, com o filme brasileiro “Vermelho Monet”.

Da lista de filmes anunciados pela organização fazem parte, entre outros, as produções portuguesas “Já nada sei”, de Luís Diogo, “Boca cava terra”, de Luís Campos, “Nada nas mãos”, de Paolo Marinou-Blanco, e “Tchau Tchau”, de Cristèle Alves Meira, o brasileiro “Os Ossos da Saudade”, Marcos Pimentel, e o angolano “Elo”, de Edgar Claudio.

Dentro do FESTin decorre a Mostra Cinema Brasileiro, que tem “O Melhor Lugar do Mundo é Agora”, de Caco Ciocler, “O Debate”, de Caio Blat, “A Primeira Perda da Minha Vida”, de Inês Peixoto, “Muros da Vida”, Zoran Djordjevic, “Nunca Estarei Lá”, de Rodrigo Campos, e “Você Me Toca”, de Rafael Castro Lopes.

Toda a programação do FESTin está em festin-festival.com.

O festival terá também programação no Museu das Comunicações, Auditório Camões e Espaço Talante.

SS // MAG – Lusa/fim

Partilhar