Santa Maria da Feira, Aveiro, 18 jan 2023 (Lusa) – Santa Maria da Feira acolhe na sexta-feira a Festa das Fogaceiras, protagonizada por 250 meninas de traje banco e fogaça à cabeça, e essa tradição com origem em 1505 replica-se depois no Brasil, Venezuela e África do Sul.

As celebrações em causa devem-se a uma promessa feita a São Sebastião há 518 anos, quando o território estava a ser assolado pela peste negra e a população prometeu ao santo que, em troca da erradicação da doença, lhe ofereceria todos os anos o pão doce local, para respetiva bênção e posterior distribuição pelos pobres da terra.

Na Feira, no distrito de Aveiro, a celebração tem lugar a 20 de janeiro, feriado municipal, abrangendo durante a manhã um cortejo cívico entre a Câmara Municipal e a Igreja Matriz da Feira, para bênção das fogaças, e à tarde uma procissão em que as 250 crianças e jovens percorrem o centro histórico da cidade com a fogaça à cabeça, para a comunidade observar o voto já abençoado.

A mesma cerimónia é depois replicada em três cidades estrangeiras com uma grande comunidade de emigrantes e lusodescendentes da Feira: no Rio de Janeiro (Brasil), no domingo, numa celebração organizada pela Casa da Vila da Feira e Terras de Santa Maria; em Caracas (Venezuela), na mesma data, num evento promovido pela Associação Civil Amigos das Terras de Santa Maria da Feira; e em Pretória (África do Sul), a 29 de janeiro, numa iniciativa da Associação da Comunidade Portuguesa de Pretória.

Para o presidente da Câmara Municipal da Feira, Emídio Sousa, esta difusão internacional da festa mais tradicional do concelho demonstra que as ligações entre a população emigrada e a sua terra natal continuam vivas e dinâmicas, representando um momento de “proximidade e reciprocidade” entre as duas comunidades.

Nesse contexto, o autarca realça que a Casa da Vila da Feira e Terras de Santa Maria no Rio de Janeiro “celebra em 2023 os seus 70 anos de atividade”. Foi a primeira entidade ligada à diáspora feirense a assinalar fora de Portugal a Festa das Fogaceiras e, com esse exemplo, motivou que a comemoração viesse depois a replicar-se também na Venezuela e África do Sul.

Este domingo, o programa da festa brasileira incluirá uma missa na Igreja dos Capuchinhos, um almoço de confraternização entre emigrantes e lusodescendentes, espetáculos com dois ranchos folclóricos e a tradicional procissão com as meninas – cujo cortejo integra “uma réplica em prata do Castelo da Feira”, contendo no interior uma amostra do solo sobre o qual assenta a Praça de Armas desse monumento português.

Já em Caracas, onde a Festa das Fogaceiras se realiza desde 2000, a celebração arranca com uma missa na capela do Centro Marítimo da Venezuela, que foi fundado por emigrantes portugueses, e inclui igualmente uma pequena procissão.

Quanto a África do Sul, o voto devido a São Sebastião é-lhe entregue anualmente desde 1986 na capital administrativa desse país, sendo que as celebrações do dia 29 preveem uma cerimónia civil na Associação da Comunidade Portuguesa de Pretória, um almoço de confraternização entre emigrantes portugueses e seus descendentes, e um leilão de fogaças cujo valor reverte para a organização do evento.

Em Portugal, além dos cortejos de sexta-feira, a Festa das Fogaceiras de 2023 abrange um programa cultural alargado que também envolve concertos, teatro de revista, visitas temáticas em museus e exposições como a que dará a conhecer a biodiversidade de Santa Maria da Feira em contexto urbano.

Essa mostra específica ficaria patente a partir de quinta-feira em mobiliário urbano ao longo da ecovia do rio Cáster, mas os painéis que para o efeito começaram a ser montados no espaço público na terça-feira já foram, entretanto, vandalizados – à semelhança do que aconteceu em meados de 2022, quando os novos postes de iluminação ao longo desse percurso pedonal e ciclável foram danificados logo após a sua instalação.

A autarquia já apresentou queixa às autoridades e denunciou a situação nas redes sociais, afirmando: “Este é mais um ato de vandalismo a somar a outros tantos que se têm verificado em diversos espaços de usufruto público no concelho de Santa Maria da Feira. A Câmara Municipal apela a todos os munícipes para que estejam atentos a estas atitudes irresponsáveis e as denunciem junto das autoridades policiais”.

AYC // JAP – Lusa/Fim

Partilhar