São Tomé, 22 fev 2022 (Lusa) – Mais de 30 atletas de 15 países participam na terceira edição da ultramaratona de São Tomé e Príncipe, num percurso de 200 quilómetros em seis etapas e que terminará na sexta-feira precisamente na linha do equador.

Participam na prova atletas de Alemanha, Canadá, Hong Kong, Estados Unidos, França, Espanha, Nova Zelândia ou Países Baixos, entre outros, incluindo uma equipa médica internacional que acompanha os atletas durante todo o percurso.

“O facto de termos aqui muitos atletas de vários países é uma coisa positiva, considerando que estamos ainda numa situação de pandemia […] Podemos dizer que todos os continentes estão representados aqui nesta competição em São Tomé” precisou o promotor do evento, Tiziano Pisoni.

“Cruzando o Hemisfério” é o nome atribuído a esta terceira edição da ultramaratona, que teve início na Roça Agostinho Neto, no norte de São Tomé, e vai passar por seis distritos da ilha de São Tomé, terminando no sul do país.

“A particularidade de São Tomé de ser no centro do mundo, quase o meridiano zero, há muita procura das pessoas para efetuar uma corrida deste tipo no centro do mundo”, explicou Tiziano Pisoni.

A competição conta com o apoio do Governo são-tomense através do Ministério da Juventude, Desporto e Empreendedorismo. O ministro da tutela, Vinício Pina, acompanhou o arranque da ultramaratona e renovou a satisfação do executivo nesta parceria.

“Para nós é motivo de satisfação poder receber aqui mais de 30 atletas de 15 países diferentes para poderem percorrer os 200 quilómetros em São Tomé e Príncipe. É uma competição que mais do que o aspeto desportivo, permite também promover a imagem de São Tomé e Príncipe, logo para nós é sem dúvida motivo para continuar a dar todo o apoio que temos estado a dar para que o sucesso prevaleça sempre”, disse Vinício Pina.

JYAF // AJO – Lusa/Fim

Partilhar