5 March 2021
O voo inaugural da companhia portuguesa EuroAtlantic, que marca a retoma das ligações diretas entre Lisboa e a Guiné-Bissau, foi recebido hoje no aeroporto de Bissau com música e danças tradicionais guineenses.

Voo inaugural da EuroAtlantic

Há cerca de um ano que o aeroporto de Bissau não recebia nenhum voo comercial proveniente da Europa pelo que o dia de hoje era mesmo de festa. Assim foi. O avião chegou com cerca de uma hora de atraso, mas mesmo assim fez-se festa.

Logo na entrada da aerogare os ‘Netos de Bandim’ (o mais celebre grupo da musica tradicional guineense) davam as boas-vindas ao som de batucadas e dança local.

Os cerca de 80 passageiros desceram do avião, entraram em dois autocarros que os foram recolher à saída do aparelho e ao se dirigirem para a sala das formalidades aeroportuárias tiveram direito às boas-vindas de maneira típica guineense, isto é, com música e dança.

Alguns passageiros, jornalistas e figuras da sociedade portuguesa (artistas e atrizes convidadas) ensaiaram passinhos de dança ainda que no aeroporto fazia um calor de 34 graus à sombra a contrastar com o tempo frio que se faz sentir em Lisboa.

Houve festa, mas tal não fez com que as autoridades sanitárias descurassem as medidas de prevenção do vírus Ébola. Cada passageiro foi sujeito a um controlo de temperatura corporal através de um termómetro a laser que era apontado à cabeça de quem estava a chegar.

Cumpridas as formalidades sob o olhar de vários elementos do corpo de segurança que as autoridades fazem questão de notar que está reforçada no aeroporto, os passageiros, ou seja, os convidados e que deviam regressar a Lisboa, assistiram a mais um sarau cultural, desta feita no terraço da aerogare.

A anteceder os discursos da praxe, mais uma vez os Netos de Bandim exibiram passos de dança sincronizada ao ritmo do tambor africano e mostraram algumas acrobacias.

O aeroporto Osvaldo Vieira estava cheio de curiosos, que foram assistir à chegada do avião não só para ver quem estava a chegar mas também para testemunhar o regresso, cerca de um ano depois, de um aparelho proveniente da Europa.

Quando o avião aterrou na placa do aeroporto, muitos dos presentes gritaram vivas e bateram palmas. Outros fizeram fotografias do aparelho, um boeing 737-800, para a posteridade.

A TAP, única companhia que fazia ligação direta entre Bissau e a Europa, suspendeu os seus voos no dia 10 de dezembro passado na sequência do embarque forçado pelas então autoridades guineenses de transição de 74 sírios com documentos falsos.

Os sírios acabaram por pedir asilo a Portugal.

MB // VM – Lusa/Fim

Fotos:

– Passageiros embarcam no aeroporto de Bissau, 23 de abril 2012. ANDRE KOSTERS/LUSA

– Uma vendedora de manga em Bissau, Guiné-Bissau, 18 de agosto de 2008. PAULO CUNHA/LUSA

Também poderá gostar

Sem comentários