O anúncio estás previsto para as 11:30 e, segundo o grupo LeYa, esta foi a edição “mais concorrida e internacional de todas”.

“A edição deste ano superou as expectativas, com o número de originais recebidos a chegar aos 491 – mais 43 do que a edição de 2008, o ano que até agora registava o maior número de concorrentes -, destacando-se igualmente, a diversidade dos países, num total de 14 procedências diferentes”, disse à Lusa fonte da editora.

O júri do Prémio LeYa 2013 é o mesmo constituído no ano passado. O escritor Manuel Alegre preside e fazem também parte os escritores Nuno Júdice, Pepetela e José Castello, o professor da Universidade de Coimbra José Carlos Seabra Pereira, o reitor do Instituto Superior Politécnico e Universitário de Maputo, Lourenço do Rosário, e a professora da Universidade de São Paulo Rita Chaves.

O vencedor, no ano passado, foi o português Nuno Camarneiro, com o romance “Debaixo de Algum Céu”.

Desde que foi instituído, em 2008, apenas na edição de 2010 o júri decidiu, por unanimidade, não atribuir o Prémio LeYa, dada a falta de qualidade dos originais a concurso, como explicou aos jornalistas, na ocasião, Manuel Alegre, que presidiu ao júri.

O vencedor da primeira edição, em 2008, foi a obra “O Rastro do Jaguar”, do jornalista brasileiro Murilo Carvalho.

Em 2009 foi vencedor o romance “O Olho de Hertzog”, do escritor moçambicano João Paulo Borges Coelho e, em 2011, o LeYa foi para “O Teu Rosto Será o Último”, do português João Ricardo Pedro.

NL // MAG – Lusa/Fim

 

Foto: – O Presidente da República, Cavaco Silva (D), entrega o prémio LeYa 2012 a Nuno Camarneiro, ANDRE KOSTERS/LUSA

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar