26 February 2021
Vasco Graça Moura foi condecorado com a Grã-Cruz da Ordem de Santiago de Espada no final de um colóquio que juntou ensaístas, escritores e investigadores, numa homenagem ao escritor.

Vasco Graça Moura condecorado

“Julgo interpretar o sentimento das instituições e das personalidades que se juntaram nesta celebração da obra e do percurso de Vasco Graça Moura, assim como dos seus muitos leitores e do povo português em geral, ao decidir condecorar o homenageado com a Grã-Cruz da Ordem de Santiago da Espada”, anunciou o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, na sessão de encerramento do colóquio, que se realizou esta tarde na Fundação Calouste Gulbenkian.

Antes, nas breves palavras que dirigiu na sessão de encerramento, Vasco Graça Moura tinha já confessado sentir-se”sensibilizado, comovido e embaraçado” com uma “homenagem tão gratificante” para o seu ego e “tão excessiva em si mesma”, que o fez sentir-se “a cair das nuvens”.

“A poesia é a minha forma verbal de estar no mundo”, disse Vasco Graça Moura.

Vasco Graça Moura, desde janeiro de 2012 presidente da Fundação Centro Cultural de Belém, celebrou no ano passado 50 anos de vida literária dedicada ao romance, poesia, ensaio, crónicas, diários e traduções.

No encerramento do colóquio realizado em sua homenagem estiveram presentes, entre outros, o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, a presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, e o presidente da comissão europeia, José Manuel Durão Barroso.

VAM // SMA – Lusa/Fim

Fotos:

O Presidente da República, Cavaco Silva (D), condecora Vasco Graça Moura com a Grande Cruz de Santiago da Espada durante um colóquio realizado na Fundação Calouste Gulbenkian,

– Vasco Graça Moura discursa durante o colóquio onde foi condecorado.

Lisboa, 31 de janeiro de 2014. JOÃO RELVAS/LUSA

Também poderá gostar

Sem comentários