Montevideu, 29 ago (Lusa) – O Uruguai dá aulas de português em 83 escolas públicas de ensino básico, sendo a maioria delas em zonas de fronteira com o Brasil, segundo números oficiais.

Em apenas seis das escolas que disponibilizam o ensino do idioma, ele é considerado uma língua estrangeira, como nas escolas chamadas Brasil, Portugal e Rui Barbosa, na capital, Montevidéu, afirmou à Lusa a coordenadora de Português no Departamento de Segundas Línguas do Conselho de Educação Inicial e Primária, Cinthia Nuñez.

Nas outras 77 escolas, em zonas fronteiriças com o Brasil, o português é a segunda língua local, como resultado da presença brasileira histórica na região. Há 190 anos, em agosto de 1925, o Uruguai se proclamou independente do Brasil, do qual fazia parte politicamente.

Nas cidades de fronteira, como Rivera e Artigas, o idioma permaneceu e é chamado de Dialeto Português do Uruguai (DPU).

Em 2009, entrevistas da então titular do Ministério da Educação e Cultura (MEC), divulgadas na imprensa internacional, afirmavam que o ensino de português seria obrigatório no país a partir de 2010. A medida, entretanto, não foi implantada.

“O ensino [de português] é estratégico, devido ao Mercosul e à proximidade com o Brasil, mas houve dificuldades financeiras para implantar”, afirmou à Lusa o diretor de Educação do MEC uruguaio, Juan Pedro Almada Mir.

Mir realçou que, apesar de o português ter importância geopolítica, há também dificuldades de tempo pedagógico. A oferta do ensino do idioma no país, segundo o diretor, tem dois objetivos no ensino fundamental: como língua de herança ou como segunda língua.

Nas escolas da fronteira com o Brasil, há o ensino como língua de herança, principalmente nas escolas de tempo integral, nas quais parte das aulas são dadas em português e a outra parte, em espanhol. Ao todo, segundo o diretor de Educação, 15% da população uruguaia fala o chamado DPU.

A outra frente de ensino ocorre também no ensino primário, como uma aula de um segundo idioma, a exemplo do inglês, em seis escolas de Montevideu, Colónia do Sacramento e Canelones. No ensino secundário, a partir dos 12 anos, as aulas de português estão disponíveis em Centros de Línguas, onde os adolescentes podem escolher entre português, francês, alemão ou italiano, fora do período de aulas.

O português é ensinado no centro de língua de cada capital de 18 Departamentos (Estados) – apenas um Departamento não possui um centro de língua que ensine o idioma, segundo Laura Motta, conselheira da Administração Nacional de Educação Pública do país.

“O objetivo na educação pública do Uruguai em longo prazo é a consolidação do espanhol como regra de ensino, além de uma língua estrangeira, principalmente o inglês, e uma língua regional, o português”, afirmou Laura Motta à Lusa.

Motta realçou que há dois centros regionais de formação de professores com o curso de português, um programa de intercâmbio de professores na fronteira e cursos binacionais de educação técnica.

FYB // EL – Lusa/Fim
Atividades comemorativas do bicentenário do Uruguai. Dia 10 de outubro de 2011 Fotografia de Matilde Campodonico.

Atividades comemorativas do bicentenário do Uruguai. Dia 10 de outubro de 2011 Fotografia de Matilde Campodonico.

Partilhar