28 February 2021
Aurélio Guterres falava em Díli na cerimónia de abertura do Centro de Formação Avançada para o Ensino e a Aprendizagem (CFAEA) da UNTL, projeto que começou a ser preparado há dois anos.

UNTL abre “projeto ambicioso”

O reitor da Universidade Nacional de Timor-Leste (UNTL) defendeu hoje uma aposta renovada na formação e capacitação dos docentes, projeto em que o seu centro está empenhado, mas que requer também o envolvimento dos decisores políticos.

“É um projeto ambicioso de reforço da formação pedagógica que requer o compromisso dos docentes, mas também dos decisores políticos, técnicos e outros parceiros integrantes do processo”, afirmou.

O projeto prevê a criação de um centro que ajude a fortalecer a qualidade do ensino e da aprendizagem, fomentando a formação continua dos docentes, com uma forte aposta na componente de investigação e académica.

Guterres recordou que é necessária uma formação “orientada para o desenvolvimento de competências que se expressam no necessário equilíbrio entre o que a sociedade espera hoje e a estrutura dos planos curriculares de quem ensina”.

No caso de Timor-Leste é especialmente importante, recordou, a responsabilidade da UNTL na criação de um modelo de ensino que contribua para o desenvolvimento nacional, procurando articular, da melhor forma, o trabalho universitário com o contexto social nacional.

Ao Governo, o reitor disse que a aposta deve ser numa educação superior estruturada “numa lógica ativa de formação, em vez de numa formação passiva limitada apenas à transmissão de conhecimentos”.

A metodologia deve ser, por isso, assente no desenvolvimento de competências interpessoais dos docentes e dos estudantes com o “envolvimento efetivo dos atores educativos no processo de ensinar”, procurando uma “lógica corporativa entre ensino superior universitário e politécnico”.

Na sua intervenção o reitor da UNTL anunciou ainda a criação de um Repositório Cientifico de Acesso Aberto em Timor-Leste, com “acesso a informação e conhecimento essencial tanto para o progresso do ensino e formação como para o desenvolvimento sustentável da sociedade”.

“É necessário permitir acesso à informação científica sobre Timor-Leste à comunidade. A dificuldade de aceso a livros é um problema e por isso é importante tornar acessível, de forma gratuita e online, informação aberta pra todos”, disse.

ASP // JCS – Lusa/fim

Também poderá gostar

Sem comentários