25 February 2021
O escritor moçambicano Ungulani Ba ka Khosa venceu na quinta-feira, com a obra "Entre Memórias Silenciadas", a 4.ª edição do prémio BCI Literatura, organizado pelo Banco Comercial de Investimento (BCI) para promoção da literatura em Moçambique.

Ungulani Ba ka Khosa vence prémio BCI Literatura 2013

A obra “Entre Memórias Silenciadas” aborda a recente história de Moçambique, com especial atenção para os campos de reeducação, estabelecidos após a independência do país, em 1975.

Em declarações aos jornalistas, o autor do conhecido romance, de 1987, “Ulalapi”, disse que o prémio, num valor de 200 mil meticais (4.690 mil euros), é apenas consequência do trabalho do escritor e não a razão da escrita.

“Os prémios não são a razão e nem a finalidade de quem escreve, mas sim a consequência da escrita”, afirmou Ungulani Ba ka Khosa.

De acordo Luís Aguiar, administrador do BCI, do grupo português CGD, esta iniciativa visa promover e valorizar a literatura moçambicana, reconhecendo as melhores obras publicadas a nível do país.

Ungulani Ba ka Khosa e a escritora Paulina Chiziane foram agraciados, em 2013, pelo Estado português com o grau de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, cujas insígnias serão impostas na próxima semana em Maputo.

Ba ka Cossa, pseudónimo de Francisco Esaú Cossa, nasceu em 1957 na província moçambicana de Inhambane, sul do país, e é atualmente secretário-geral da Associação Moçambicana de Escritores (AEMO), em Maputo.

O prémio BCI Literatura já distinguiu os escritores moçambicanos João Paulo Borges Coelho (2010), Adelino Timóteo (2011) e Eduardo White (2012).

LAS // VM – Lusa/Fim

Também poderá gostar

Sem comentários