25 February 2021
Assembleia Geral da UNESCO vota amanhã a criação de um Centro UNESCO em Lisboa, dedicado à formação avançada em ciências básicas dentro do espaço da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

UNESCO vota criação do Centro para Formação Avançada da CPLP

Na 36ª Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), em Paris, Nuno Crato, Ministro da Educação e Ciência sublinhou a importância da relação entre Portugal e os países de língua oficial portuguesa, assim como, a concretização do projeto de criação de um Centro UNESCO para Formação Avançada em Ciências da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa.

Nuno Crato afirmou que «o investimento sustentado na investigação científica e na formação de técnicos e investigadores é indubitavelmente um dos pilares do desenvolvimento em que mais apostamos».

De relembrar que o projeto de criação do Centro UNESCO para Formação Avançada em Ciências no espaço da CPLP, foi aprovado na reunião de Ministros da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior dos membros da CPLP, realizada em Agosto de 2009, em Lisboa, e submetida no mês seguinte à Direção Geral da UNESCO. 
Na Declaração, acordada entre os representantes dos vários países da CPLP, podia ler-se que o Centro deve ser dedicado «à formação doutoral e pós-doutoral de jovens cientistas de países e regiões de expressão oficial portuguesa em áreas das ciências», por forma a responder «à preocupação de evitar uma eventual ‘fuga de cérebros’».

Apesar de ser prever que o Centro seja sedeado em Lisboa, o objetivo é «que a formação adquirida, designadamente através de programas de doutoramento, deve necessariamente incluir a aprendizagem das condições específicas do trabalho de investigação no país de origem do investigador, a sua educação no domínio da responsabilidade social dos cientistas, assim como, em matéria de disseminação do conhecimento por parte dos cientistas e das suas organizações, e ainda a formação do investigador para operar em contexto internacional».
Dois anos passados, o Centro UNESCO de Formação Avançada da CPLP está prestes a ser votado.

Na intervenção na 36ª Conferência Geral da UNESCO, Nuno Crato destacou ainda a importância dos progressos na área da Educação e afirmou que Portugal sempre apoiou «a prioridade dada ao continente africano e mantém uma estreita cooperação com os países de língua oficial portuguesa, nomeada mas não exclusivamente através do estabelecimento de escolas em Moçambique e Angola».

O Ministro relembrou ainda a importância crescente da língua portuguesa no mundo, já que «é atualmente falada por cerca de 250 milhões de habitantes da Terra. Este número faz dela a oitava língua mais falada no planeta e a terceira língua europeia mais falada em todo o mundo».
Desta forma «a língua portuguesa é cada vez mais utilizada nos domínios comerciais e económicos das potências emergentes, com relevo especial para a América do Sul e para a África subsaariana», afirmou. 
Nuno Crato reiterou ainda o apoio de Portugal ao «reforço do papel do Português como língua de comunicação internacional junto das instâncias internacionais e em profunda concertação com os restantes países da CPLP», tal como ficou definido na Declaração da VII Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP, no âmbito da Presidência portuguesa da CPLP em 2008. 
Em Paris, Nuno Crato reuniu-se ainda com os homólogos de Moçambique, Angola, Cabo-Verde e Timor-Leste, para analisar protocolos existentes, futuras parcerias e projetos e a criação de vagas para professores portugueses nesses países.

O Ministro português e o Ministro da Ciência da Índia também tiveram um encontro para discutir o intercâmbio científico, de professores do Ensino Superior e de estudantes de pós-graduação. 

FONTE: TV Ciência

Também poderá gostar

Sem comentários