AO DOUTOR JORGE SAMPAIO

11 de setembro de 2021

O Doutor Jorge Sampaio largou o último suspiro em Portugal, a 10 de setembro de 2021. Na Oceania, na ilha (outrora) do sândalo, no pico de Ramelau ou Tatamailau (ou ainda, nos ritos tradicionais, “Hoho-Mai Nam-Tu”), lá nas fronteiras da Terra com o céu azul das divindades tribais e de Na’i-Maromak, onde, em  cada segundo, intercede a Virgem Senhora do Rosário de Fátima pelo seu amado povo lutador…, no seu  cume, símbolo do seu maior orgulho, Timor-Leste lacrima de saudades por um grande amigo. 

A dor justifica-se pela perda da proeminente figura portuguesa que foi emblemática da estreita solidariedade entre dois povos que a história quis sagrar de irmãos – lusitano e timoroan

Ilustrando, a lembrar um momento alto: a Resistência Timorense – aquando trazida ao apogeu mediático  no altar do mundo, na capital norueguesa (Oslo), naquele frígido-caloroso 10 de dezembro de 1996, para  o partilhado Prémio Nobel da Paz por Ximenes Belo e Ramos-Horta – foi triunfalmente empolgada pela  majestosa presença de Jorge Sampaio. Este, propositado pela ocasião, sumulou o verdadeiro significado  e a extensão planetária dos ‘Heróis do Mar’, e como não?! Frente às câmaras do CNN, o douto político selou contundente a persuasão da comunidade internacional da ‘é chegada a hora’ para o inalienável  direito do povo timorense. 

Quando se quer aprender e apreciar a Política, a História Universal, ou as Ciências Sociais e Humanas em  geral, tem-se-nas em lição de rara finura, como o que aconteceu naqueles minutos em que, aos fitos olhos  do mundo, corria admirável a intervenção do Chefe do Estado português. Foram momentos em que, pelo  mundo fora e face a écrans ou junto a aparelhos radiofónicos, todo o versátil em matéria da luta de libertação timorense podia em plena anuência balbuciar, por reflexo e sintonia, o profícuo discurso do  hábil orador, onde a palavra e a comunicação – expressas em inglês lapidar – se confundiam com a força  da razão e com os pilares civilizacionais hodiernos da sociedade humana: a favor do direito à autodeterminação e independência do Povo de Timór Lorosa’e

Obrigadu barak! Adeus mui querido amigo Doutor Jorge Sampaio, e que Deus Nosso Senhor o acolhe em  Sua morada santa! À família dorida, unímo-nos em oração com os mais sentidos pêsames! 

* OLE-MATE – no substrato cultural timorense da zona de Suro-Ainaro, um dos géneros ritualísticos típicos de arte verbal, cantante  e pungente [ala requiem], exibido nas línguas locais Mambai e Quémaque por anciãos locais em homenagem aos seus defuntos de  destaque!

 

Retrato oficial do Presidente Jorge Sampaio (2005), por Paula Rego. Museu da Presidência da República.

close
Subscreva as nossas informações
The following two tabs change content below.

Benjamim de Araújo Corte-Real

Benjamim de Araújo e Corte-Real, doutorado em Linguística pela Macquarie University em abril de 2000. Foi Reitor da UNTL (decénio 2001-2011); é Diretor do Instituto Nacional de Linguística (INL da UNTL) desde julho de 2001, Professor Auxiliar e docente permanente nas Faculdades de Direito e da Educação, Artes e Humanidades, e ainda no Mestrado de Ensino em Língua Portuguesa.

últimos artigos de Benjamim de Araújo Corte-Real (ver todos)

Partilhar