Bruxelas, 05 dez (Lusa) – A comissão conjunta UE-Macau reafirmou hoje o compromisso no reforço da formação de tradutores e intérpretes de chinês e português, bem como na área da justiça.

De acordo com um comunicado da comissão conjunta UE-Macau, os dois lados destacaram a necessidade de manter a formação em tradução e interpretação em chinês e português para responder à procura, nos dois espaços, de intérpretes qualificados nas duas línguas.

O diretor do Serviço Europeu de Ação Externa para a Ásia e Pacífico, Gunnar Wiegrand, e o secretário de Economia e Finanças do governo de Macau, Leong Vai Tac, que presidiram à reunião, congratularam-se com os “progressos do terceiro programa de cooperação na área legal”, destinado a promover a modernização e desenvolvimento do sistema legal do território asiático.

No encontro, esteve também em destaque a importância do mecanismo de cofinanciamento para levar investigadores de Macau a participarem no programa de investigação e inovação da UE Horizonte 2020.

Os dois lados concordaram também reforçar a cooperação a nível ambiental e nas chamadas tecnologias verdes, especialmente no âmbito do Fórum internacional de Macau para cooperação ambiental.

A UE e a Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) concordaram que, dado o crescente papel das empresas da UE a operar no território, as trocas diretas entre empresas europeias e a administração macaense deviam ser reforçadas através do estabelecimento de um diálogo regular, refere o mesmo comunicado.

Esta foi a 21ª reunião da comissão conjunta e o 15º encontro anual desde que a China retomou o exercício da soberania na RAEM.

EJ // PJA – Lusa/Fim
close
Subscreva as nossas informações
Partilhar