Com um Departamento de Programas Portugueses ainda em fase embrionária, esta universidade macaense pretende aprofundar as relações com universidades portuguesas, nomeadamente a UA, onde também existe um Centro de Estudos Asiáticos e um mestrado em Estudos Chineses.

Num futuro que se espera não muito longínquo, será possível o intercâmbio de docentes e estudantes: de Macau virá para a UA quem se interesse pela língua e cultura Portuguesa e da UA irá quem desejar estudar a cultura chinesa.

Este intercâmbio de docentes e alunos será efetuado no âmbito do recém-criado Departamento de Programas Portugueses na UCM, como explicou o seu diretor, Rui Rocha: “O departamento está ainda numa fase inicial. Os nossos planos incluem o desenvolvimento de três áreas concretas: a formação de professores, as práticas pedagógicas e a investigação”. A UA poderá vir a ser um dos parceiros neste processo, acrescentou.

O coordenador do Centro de Estudos Asiáticos da UA e do mestrado em Estudos Chineses, Carlos Rodrigues, para quem esta visita foi “extremamente importante”, corroborou as palavras de Rui Rocha. Numa primeira fase a cooperação vai acontecer ao nível do mestrado em Estudos Chineses, explicou, sendo que, no futuro, espera que a colaboração se estenda à formação e à criação de novos cursos.

A UA chamou a atenção da UCM pela boa posição que ocupa nos rankingsinternacionais e pelo facto de ser reconhecidamente uma universidade de cariz tecnológico. Daí até à marcação de uma visita à UA foi apenas um pequeno passo.

“Já temos relações com outras universidades de países falantes da língua portuguesa e com outras universidades deste país. Entretanto, soubemos que a UA tem características muito distintas em várias áreas de estudo e teve um rápido desenvolvimento em vários campos. Está a crescer rapidamente nos rankingsinternacionais, por isso desejamos aprofundar contactos”, explicou o Vice-reitor da UCM.

Estiveram presentes na reunião com o Reitor da UA, Manuel António Assunção, o Vice-reitor, Joaquim da Costa Leite, e o coordenador do Centro de Estudos Asiáticos da UA, Carlos Rodrigues. A delegação macaense foi constituída pelo Vice-chanceler, Qiu Xiaohua, Vice-reitor, Xing Wenxiang, Supervisor, Xu Yongjin, chefe de gabinete, Geraldina Farinha, e a secretária do gabinete da Reitoria, Iris Lei.

A UCM é uma universidade privada, anteriormente designada Universidade Aberta Internacional da Ásia. Esta mudança de nome resulta de novas parcerias e da mudança da sua entidade titular para a Fundação da Universidade da Cidade de Macau.

Conta com cerca de 7 mil alunos, foi fundada em 1981, e oferece cursos de licenciatura, mestrado e doutoramento em humanidades e ciências sociais, turismo internacional e gestão, psicologia, comércio, administração, gestão, entre outros.

 

Fonte: UA online

 

 

Artigo relacionado:

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar