A tradução foi realizada por alunos da UM (Curso de Mestrado de Tradução de Chinês/Português do Departamento de Português) e coordenada pela professora Ana Cristina Alves. Já a revisão coube ao poeta chinês Yao Jing Ming, tradutor de autores portugueses como Fernando Pessoa ou Eugénio de Andrade.

Trata-se do segundo volume da coleção bilingue português-inglês iniciada pela escritora radicada no Reino Unido a ganhar uma versão português-chinês por via desta colaboração, depois do livro “Contos do Portugal Rural” em 2014.

“Foi de novo uma experiência enriquecedora e desafiante em termos culturais, linguísticos e literários – sobretudo para os alunos de Mestrado. A temática dos contos traduzidos incide sobre as brincadeiras e os jogos da infância rural portuguesa, mas verificou-se, mais uma vez, que a realidade chinesa dos alunos está muito próxima das vivências das personagens das histórias e das minhas como autora”, disse Isabel Mateus à agência Lusa.

Foram, aliás, “os alunos que escolheram os contos para tradução seguindo principalmente as suas preferências pelos jogos a que brincaram durante a infância e a adolescência e as melhores memórias/recordações dessa época, em que saem valorizados sentimentos como a pureza da amizade, a capacidade de perdoar e a importância da partilha e da solidariedade. Poderemos afirmar, inclusive, que ocorreu aqui um processo de identificação”, explicou.

Esse processo de identificação é precisamente assinalado por Yao Jing Ming. “Estes belíssimos contos transportam-nos aos tempos da nossa meninice, às brincadeiras e aos amigos com os quais nos costumávamos divertir. Nessa época, apesar de não haver jogos eletrónicos, sentíamo-nos reis e senhores das nossas brincadeiras. (….) Os estudantes ao traduzirem os contos sentiram-se próximos deles, porque na China existem brincadeiras semelhantes”, escreve o poeta chinês na contracapa.

A própria autora d’“O Trigo dos Pardais” também vê a experiência como gratificante. “Foi bastante importante ficar a conhecer mais acerca do modo como se brincava na China e quais os brinquedos feitos à mão e com mais popularidade no tempo dos avós dos jovens que traduziram os contos”, afirmou, citando nomeadamente “os jogos das cinco mecas, do esconde-esconde e o fabrico de fisgas”.

À semelhança do que sucedeu com “Contos do Portugal Rural”, que já está a ser adotado por algumas universidades chinesas, Isabel Mateus espera que “O Trigo dos Pardais” trilhe idêntico caminho como “um instrumento de trabalho eficaz” e um “bom meio de divulgação da portugalidade em Macau e na China”.

A capa é da autoria do artista plástico Carlos Farinha que também ‘assinou’ a versão bilingue português-chinês de “Contos do Portugal Rural”.

Com uma tiragem inicial de 500 exemplares, o livro, uma edição de autor publicado na semana passada, encontra-se disponível para venda nas plataformas online Wook.pt e Bertrand.pt., devendo chegar em breve, segundo a autora, aos escaparates da Livraria Portuguesa de Macau.

DM // PJA – Lusa/Fim




Foto: A chinesa Yu Yu Ye (E) e a japonesa Usumy Nagaya, estudantes de português na Universidade de Macau, Macau 11 de junho de 2008. JOSE COSTA SANTOS/LUSA

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar