Lisboa, 10 dez (Lusa) – A Sociedade Portuguesa de Autores vai criar em 2016 uma pós-graduação em gestão de direitos de autor, em parceria com o Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), anunciou hoje o presidente da instituição, José Jorge Letria.

Em declarações à Lusa, o responsável frisou que “a SPA é a única sociedade de gestão coletiva, a nível internacional, que tem uma colaboração com uma universidade [a Universidade de Lisboa] para a criação de uma pós-graduação”.

“O projeto de cooperação lusófona já começou, mas eu penso que em 2016 é que vai ser a etapa mais importante da sua concretização: com Angola, Moçambique, Timor, já demos passos fundamentais, mas agora, com a pós-graduação a começar no ISCSP, é que vamos consolidar o projeto, porque vai ter uma dimensão académica, essencialmente centrada no conceito de gestão coletiva do direito de autor associada à era digital”, explicou.

Outro dos projetos da SPA para o próximo ano é a realização de um Festival de Cultura Lusófona, que conte com a colaboração das sociedades congéneres da África Lusófona e do Brasil para a respetiva organização e boa concretização.

“Neste momento, esse festival é um sonho, é um desejo e é uma vontade, que se acrescenta a outra vontade e a um projeto: é uma ideia que tínhamos, não organizada ou estruturada, que se fortaleceu agora com a intervenção do professor Manuel Maria Carrilho que defendeu, na iniciativa que tivemos na Fundação Gulbenkian, a realização anual de um festival cultural da Lusofonia”, precisou o presidente da SPA, que pretende que a primeira edição decorra em Lisboa.

Por último, José Jorge Letria falou ainda de outro projeto para 2016, uma ideia apresentada pela presidente da Sociedade Cabo-verdiana de Música, Solange Cesarovna Rodrigues, no mesmo seminário organizado pela SPA em novembro, na Gulbenkian: a candidatura do direito de autor e respetiva gestão coletiva a Património da Humanidade da UNESCO.

“A presidente dessa associação é música, é compositora, e é licenciada em direito e lançou essa ideia, que foi aceite por todos com entusiasmo, e eu agora vou escrever uma carta aos dirigentes das outras sociedades a perguntar se se querem associar a nós na apresentação desta candidatura”, observou o responsável.

ANC // JMR – Lusa/fim
close
Subscreva as nossas informações
Partilhar