António Correia e Silva presidia a sessão da abertura do primeiro workshop internacional sobre o Ensino da Língua Portuguesa, Matemática e Disciplinas Afins, promovido pela Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), na Cidade da Praia.

Na opinião do ministro, é “consenso” que devem ser pensados os métodos de ensino da Língua Portuguesa em Cabo Verde porque está-se numa sociedade em que há uma outra língua materna.

“Tarda encontrar soluções concretas para que o processo do ensino da Língua Portuguesa e das outras disciplinas conexas tenham consequências efectivas no processo de ensino/aprendizagem, ou seja, precisamos urgente de métodos mais rentáveis e eficazes para o ensino dessa língua”, frisou.

António Correia e Silva advogou a necessidade do workshop encontrar soluções concretas nesse sentido porque, no seu entender, é “difícil” um aluno fazer uma carreira bem sucedida ou ter a autonomia necessária à aprendizagem sem o domínio da Língua Portuguesa.

“O esforço do Governo em alargar as oportunidades educativas e promover a equidade do acesso ao ensino superior está muito condicionado pelo sucesso da aprendizagem da Língua Portuguesa”, indicou.

O reitor da Uni-CV, Paulino Fortes, partilhou da opinião do ministro António Correia e Silva, acrescentando que a Matemática, ao lado da Língua Portuguesa, são estruturantes na formação do indivíduo.

“A Língua Portuguesa e a Matemática dão o substrato necessário ao desenvolvimento intelectual dos estudantes para que possam construir novas aprendizagens, por isso, essas disciplinas tem importância estruturante na formação e, espera-se desse workshop, contributos para o ensino dessas línguas”, sublinhou. Ler o artigo completo (Expresso das Ilhas)

 

Artigos relacionados:

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar