Lisboa, 02 mai 2019 (Lusa) – O ministro da Edução de Portugal apelou hoje aos Estados-membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) para participarem na Conferência Mundial de Ministros responsáveis pela Juventude, que se realiza em Lisboa em 22 e 23 de junho.

Tiago Brandão Rodrigues, que participou hoje no encerramento do seminário sobre “A Importância da Língua Portuguesa para as Gerações Futuras”, promovido pelo Secretário Executivo da CPLP, que decorreu na Fundação Oriente, em Lisboa, afirmou que a Lisboa+21 não pode passar sem a presença dos Estados-membros da CPLP, bem como dos representantes de jovens daqueles países.

O ministro português declarou que “a língua é uma oportunidade para todos, principalmente para os jovens”, referindo que as políticas futuras que estão a ser traçadas destinam-se, principalmente, a eles.

A conferência e fórum para a juventude regressam a Lisboa 21 anos depois de Portugal ter organizado esse evento, em 1998.

Já o secretário executivo da CPLP, o embaixador Francisco Ribeiro Telles, reforçou mais uma vez a necessidade da mobilidade entre os Estados-membros da CPLP, sobretudo a académica, que permitirá aos jovens potenciarem o valor da língua portuguesa e encontrarem com ela oportunidades de conhecimento, de empregos e de negócios.

Já o presidente da Fundação Oriente, Carlos Monjardino, que falou na abertura do seminário, considerou a CPLP “a mais importante instituição multilateral criada por iniciativa da diplomacia da nova democracia portuguesa para consolidar as relações entre o conjunto dos Estados cuja língua oficial é a língua portuguesa.”

“Neste contexto queria evocar Mário Soares [antigo Presidente da República] e Jaime Gama [antigo ministro dos Negócios Estrangeiros], cuja visão e cuja ação diplomática foram cruciais para a institucionalização da CPLP”, considerou, acrescentando: “A língua portuguesa é o que cada um de nós e todos nós, mais novos e mais velhos, soubermos fazer dela”.

Fazem parte da CPLP Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné-Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

ATR // SR – Lusa/Fim

RELACIONADAS