“Não queremos só fazer um balanço da implementação já realizada do Plano de Ação de Brasília, mas propor iniciativas futuras e um significativo envolvimento da sociedade civil nos programas e atividades em prol da promoção, difusão e projeção da Língua Portuguesa no mundo”, disse à Lusa o embaixador Eugénio Anacoreta Correia.

O seminário, subordinado ao tema “A Sociedade Civil no Plano de Ação de Brasília”, decorre a 31 de janeiro, na Academia das Ciências de Lisboa.

O “Plano de Ação de Brasília para a Promoção, a Difusão e a Projeção da Língua Portuguesa” foi aprovado na capital brasileira, a 31 de março de 2010, pela VI Reunião Extraordinária do Conselho de Ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e foi adotado pela VIII Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP reunida em Luanda, a 23 de julho do mesmo ano.

“Este seminário visa ainda sensibilizar e mobilizar a sociedade civil portuguesa para uma participação útil e coordenada na II Conferência Internacional sobre a Língua Portuguesa no Sistema Mundial, que se vai realizar no nosso país, entre outubro e novembro deste ano”, sublinhou Anacoreta Correia.

Segundo o embaixador, que é presidente do conselho de administração do Observatório de Língua Portuguesa (OLP), no evento da próxima quinta-feira ainda serão analisados quatro eixos estratégicos do Plano de Ação de Brasília.

“O primeiro é o ensino da Língua Portuguesa no universo da CPLP, nas diásporas e como língua estrangeira”, referiu.

O segundo eixo a ser debatido no seminário é a Língua Portuguesa na comunicação social mundial, tendo a ver com a visibilidade mediática da Língua Portuguesa, de acordo com a Anacoreta Correia.

“O terceiro tema é a presença da Língua Portuguesa nas organizações internacionais e o quarto objeto de análise será a sociedade civil nas estratégias de afirmação da Língua”, declarou.

Anacoreta Correia sublinhou ainda que “as diásporas, e não apenas as situações no interior de cada país, vão estar muito presentes na nossa reflexão nesta conferência”.

A sessão inaugural terá a intervenção do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas (em representação do ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas), José Cesário, e contará com a participação de outras personalidades e académicos.

O evento é organizado pela Academia das Ciências, pelaa Associação de Professores para a Educação Intercultural (APEDI), o Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, o OLP e a Priberam.

Entre os colaboradores do seminário estão a Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP), do Centro Português de Fundações, da Plataforma Portuguesa das ONGD – Organizações Não Governamentais para o Desenvolvimento, do Instituto Internacional de Macau e do Instituto Nacional de Estatística.

CSR // PJA

Lusa/fim

Partilhar