7 March 2021
O estado brasileiro de Pernambuco é o tema central da segunda edição da Semana da Cultura Brasileira em Macau, que decorre integrada no Mês do Brasil da China e arrancou hoje.

Segunda Semana da Cultura Brasileira começou em Macau

Com ações em Macau, Hong Kong, Pequim e Xangai, o Brasil mostra a sua cultura e tradições na China durante o mês de setembro, concentrando em Macau a cultura de Pernambuco num evento em parceria com o departamento de Português da Universidade de Macau e na qual participam vários académicos.

Além dos filmes e das exposições, a segunda edição da Semana da Cultura Brasileira trouxe até Macau especialistas da literatura do país para discutirem o Sertão – zonas áridas – que “inspiram escritores e é fonte muito rica da imaginação artística” da região, explicou à agência Lusa Raquel Abi-Sâmara, uma das coordenadoras do evento.

Em destaque estará também a literatura de cordel, um género literário típico do estado e que “está muito vivo, mantendo a sua tradição de retratar em verso a atualidade”, acrescentou a mesma responsável, salientando que ela própria, numa visita recente a Pernambuco, ouviu e leu muitas crónicas relacionadas com as manifestações no Brasil. “Era o assunto do dia”, explicou.

Ao longo da semana, os alunos dos cursos de português da Universidade de Macau vão ter também oportunidade de contactar diretamente com escritores brasileiros como Adriana Lisboa, galardoada em 2003 com o Prémio José Saramago, que vai apresentar o seu mais recente romance em Macau no próximo fim de semana.

O livro, intitulado “Hanói”, será apresentado na Livraria Portuguesa de Macau, no final da primeira viagem da autora à China.

Nascida no Rio de Janeiro, Adriana Lisboa vive há seis anos nos Estados Unidos e “Hanói”, o seu sexto romance, apresenta-se como um livro sobre “deslocamentos”, onde a cidade evocada no título “é mais um futuro imaginado do que uma localidade geográfica”.

Em declarações à agência Lusa, Fernanda Gil Costa, diretora do departamento de português da Universidade de Macau, explicou que o objetivo da semana cultural “é contribuir para que o Brasil seja mais conhecido em Macau”.

“É o maior dos países lusófonos e portanto temos o maior interesse que Macau, onde o português continua a ser língua oficial, embora se dê pouco por isso, conheça os países da língua portuguesa. O Brasil é aquele que tem mais falantes de português no mundo e, por isso, é bastante representativo, quer no presente, quer daquilo que julgamos poder vir a ser o futuro da língua portuguesa”, disse.

A mesma responsável acrescentou que o Brasil é, em termos culturais, “muito diversificado e também muito importante porque a cultura brasileira, sobretudo a música, é um evento mundial, e tudo aquilo que tenha a ver com o conhecimento e reconhecimento do caráter impar da cultura brasileira é extremamente importante”.

 

JCS // VM -Lusa/Fim


Foto: LUSA – Cristo Redentor e a monte “Pão de Açucar”  vistos da Praia de Copacabana, durante a visita do Papa Francisco ao Brasil. 28 de julho de 2013. EPA/FERNANDO BIZERRA JR

Também poderá gostar

Sem comentários