Coimbra, 01 mar (Lusa) – A Universidade de Coimbra registou um aumento de cerca de 30% do número de candidaturas de estudantes internacionais face ao ano anterior, afirmou hoje o reitor da instituição.

A primeira fase de candidaturas de estudantes internacionais para o ingresso na Universidade de Coimbra (UC) no próximo ano letivo terminou recentemente e a instituição registou um aumento de cerca de 30% do número de candidatos “efetivamente inscritos” relativamente ao ano anterior, sublinhou o reitor da UC, João Gabriel Silva.

O reitor sublinhou que este incremento é observado, mesmo quando o Brasil atravessa uma “forte recessão” – país de origem da maioria dos estudantes internacionais.

“Resistimos à crise em Portugal. Estamos a resistir à crise no Brasil”, realçou o reitor, que falava durante a sessão solene do Dia da Universidade, que teve lugar na Sala dos Capelos.

A integração de estudantes chineses na UC é outro dos objetivos da instituição, com João Gabriel Silva a revelar que a universidade vai avançar em breve com uma “campanha plena de divulgação na China”, com presença em feiras de educação superior “e em muitas escolas”.

Segundo dados que a UC facultou à agência Lusa, esta instituição registou 3.259 candidatos brasileiros para 2016/2017 na primeira fase, dos quais foram aceites 293.

O Brasil é a origem da maioria dos estudantes que têm ingressado na Universidade de Coimbra ao abrigo do estatuto do estudante internacional, em que os alunos pagam cerca de sete mil euros de propinas, contra pouco mais de mil euros para portugueses.

Em 2015, o reitor João Gabriel Silva tinha previsto que a Universidade iria faturar no presente ano letivo cerca de 2, 5 milhões de euros com os estudantes internacionais.

Durante a sessão solene, que ocorreu pela “primeira vez” na Sala dos Capelos, o responsável sublinhou a necessidade de a UC se afirmar como uma instituição “global” e de “grande exigência”, de forma a “superar o grave inverno demográfico que se aproxima”.

O reitor falou ainda da vontade de “construir em breve” um edifício de investigação no Polo III da instituição, o UC-Biomed, que será um elemento “essencial para concretizar o potencial fantástico” da proximidade “entre as estruturas universitárias e hospitalares de grande qualidade” que ali se encontram.

No decorrer do discurso, João Gabriel Silva realçou também a importância da compra e reabilitação da Residência Rua da Alegria, que está parada “há meses” por falta de autorização do Ministério das Finanças, bem como da remodelação “total da cantina amarela”, que deverá acontecer “em breve”.

A sessão contou ainda com a entrega do Prémio UC, no valor de 25 mil euros, ao investigador e professor catedrático do Porto, Adélio Mendes.

JYGA (JEF) // SSS – Lusa/Fim
Sala dos Capelos. Universidade de Coimbra.

Sala dos Capelos. Universidade de Coimbra.

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar