Lisboa, 09 fev (Lusa) – O saldo positivo das trocas comerciais de Portugal com os países lusófonos encolheu quase 40%, de 1,1 mil milhões de euros para 686 milhões, com Angola e Brasil a contribuírem de forma significativa, divulgou hoje o INE.

De acordo com os dados do ‘Comércio Internacional’, hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o total das trocas comerciais entre Portugal e os países lusófonos (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Equatorial, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste) caiu de 1.139 milhões de euros em 2015 para 686,1 milhões em 2016, o que represente um abrandamento do saldo comercial favorável a Portugal em 39,76%.

A maior quebra percentual aconteceu no saldo das relações comerciais com o Brasil, país onde as contas pioraram, de um saldo negativo de 291 milhões em 2015, para um défice de 515 milhões, no ano passado (77,09%), e nas trocas comerciais com Moçambique, cujo saldo favorável a Portugal desceu de 317 milhões para 179 milhões, ou seja, 43,5%.

Com Angola, o país lusófono mais determinante em termos de trocas comerciais lusófonas, as exportações portuguesas caíram 17%, para 2,1 mil milhões de euros, e as importações desceram também 6,3%, para 857,5 milhões de euros.

Assim, isto implicou uma queda no saldo favorável a Portugal, de 1,6 mil milhões em 2015 para 1,2 mil milhões no ano passado.

Em termos globais, as exportações e as importações aumentaram 0,9% e 1,2% respetivamente em 2016, face ao ano anterior, tendo o défice comercial aumentado 281 milhões de euros, segundo o INE.

As exportações de bens registaram uma desaceleração, face ao acréscimo de 3,7% verificado em 2015, à semelhança das importações de bens, que cresceram menos do que em 2015 (2,2%).

Assim, em 2016 o défice comercial aumentou em 281 milhões de euros para 10,766 mil milhões, segundo o gabinete de estatísticas português.

MBA (ICO) // VM – Lusa/Fim
close
Subscreva as nossas informações
Partilhar