«500 Erros Mais Comuns da Língua Portuguesa»

Sabia que o correto é dizer “ovelha ronhosa” e não “ovelha ranhosa”? Há mais 499 erros comuns para desmistificar.

Há assim tantos erros comuns?
É verdade. Quando a editora me apresentou o título deste projeto, eu confesso que entrei em pânico. Eu sou professora e ao longo destes 15 anos de ensino fui colecionando erros dos meus alunos, mas não tinha 500. Não foi fácil. Durante um ano e meio recolhi os erros e trabalhei-os individualmente. Estes são os mais comuns do meu ponto de vista enquanto linguista porque, como sabemos, tudo na vida é relativo. Outro linguista pensará que há outros.

Quais são os erros que todos continuamos a cometer?
Há tantos!

  • “Rúbrica”, com acento, é uma palavra que não existe em português. Devemos dizer “rubrica”, sem acento.
  • Outro exemplo: “mandato” de busca ou de captura. O correto é “mandado”, significa ordem judicial. “Mandato” é o período de tempo em que a pessoa que está no poder fica no cargo.
  • “Reinado” para rei, “mandato” para presidente.
  • Ou ainda “pessoas evacuadas”. O verbo evacuar significa esvaziar: não se esvaziam as pessoas. Esvaziam-se os lugares, por isso devemos dizer: “A aldeia foi evacuada. As pessoas foram retiradas.

Sandra Duarte Tavares

Leia toda a entrevista do jornal I à linguista Sandra Duarte Tavares

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar