4 March 2021
O projeto é composto por entrevistas, em áudio ou vídeo, que os alunos do 8º ano do ensino fundamental realizaram com pessoas dos bairros onde moram. Após a entrevista, os estudantes tiveram que transcrever o conteúdo em forma de texto, eliminando os vícios de oralidade.

Professora é finalista do ‘Educador Nota 10’

O projeto “Entrevista: Um encontro combinado com personalidades do bairro”, da professora Gleiciane Rosa Vinote Rocha, com alunos da Escola Estadual Leonel de Moura Brizola, localizada no bairro Vista Alegre, ficou entre os cinco finalistas da categoria de Língua Portuguesa da 14ª edição do Prêmio Victor Civita “Educador Nota 10”, promovido pela “Revista Nova Escola”, por meio da Fundação Victor Civita. Concorreu com mais de mil inscritos de todo o país e mais de 600 na categoria Língua Portuguesa.

O projeto é composto por entrevistas, em áudio ou vídeo, que os alunos do 8º ano do ensino fundamental realizaram com pessoas dos bairros onde moram. Após a entrevista, os estudantes tiveram que transcrever o conteúdo em forma de texto, eliminando os vícios de oralidade.

– Percebi muitas expressões características da fala no texto deles. Então pedi para que eles transcrevessem as entrevistas para que treinassem retirar coisas como “aí”. Além de ter esse objetivo, quis focar nos gêneros focais, no caso a entrevista, que geralmente não são muito abordados nas escolas. Fazendo esse treinamento oral, quando os alunos tiverem que fazer uma entrevista de empregou ou discurso estarão preparados – disse a professora, acrescentando que ficou muito feliz de seu projeto ter sido classificado entre os finalistas.

– É um prêmio de referência nacional. Estou muito feliz. Para mim é um indicativo de que o esforço vale a pena na busca por uma educação de qualidade. Não é um trabalho fácil, e ser reconhecido dá um gás e mostra que estamos no caminho certo – comentou, acrescentando que o apoio da comunidade foi muito importante para o sucesso do projeto.

Para a diretora da Escola Estadual Leonel de Moura Brizola, Maria Helena de Amorim, é motivo de orgulho saber que a instituição tem pessoas tão competentes, tanto professores quanto alunos.

– Esse projeto traz muitas vantagens, tanto na escrita quanto na fala mesmo. Alguns alunos também se soltam mais, pois foi um trabalho que fez com que eles fossem para as ruas entrevistar os moradores. A professora é merecedora desse prêmio, pois é muito esforçada. É o primeiro projeto que ela inscreve e já fica na final. Ela é uma professora que vai além do quadro e do giz, ela cria e faz com que o aluno tenha vontade de ir para escola – falou.

Para os alunos, a classificação do projeto é um incentivo para estudarem mais. Além disso, eles afirmaram que puderam conhecer melhor as pessoas do bairro e aprender com elas.

– Foi uma honra saber que o nosso trabalho foi reconhecido. E essa entrevista foi boa para sabermos mais sobre a vida das pessoas que entrevistamos, saber como ela batalhou para chegar onde chegou – afirmou a estudante do 8º ano Gabriela Seixas, de 14 anos.

– Foi muito gentil da parte da professora nos passar esse trabalho. Foi uma ótima oportunidade para aprendermos mais sobre esse tipo de matéria. Fiquei feliz com o prêmio – acrescentou Carlos Henrique da Silva Júnior, de 12 anos.

A escola receberá uma placa de menção honrosa pela classificação.

 

FONTE: Diário do Vale

Também poderá gostar

Sem comentários