25 February 2021
Entrevista ao linguista português João Malaca Casteleiro. 04 DE MAIO DE 2016. JOÃO RELVAS/LUSA

Professor João Malaca Casteleiro, da Academia das Ciências de Lisboa, é eleito Sócio Correspondente da ABL

A Academia Brasileira de Letras elegeu, em Sessão Acadêmica realizada no Petit Trianon, na quinta-feira, dia 10 de novembro, o professor português João Malaca Casteleiro – da Academia das Ciências de Lisboa e um dos mais destacados defensores do Acordo Ortográfico em Portugal – para a Cadeira 18 de seu Quadro de Sócios Correspondentes, na vaga do tradutor norte-americano Gregory Rabassa, falecido em junho deste ano.

O Quadro de Sócios Correspondentes da ABL é formado por 20 membros estrangeiros. Um novo integrante somente é eleito pelos Acadêmicos quando um dos efetivos falece. Casteleiro será o oitavo ocupante da cadeira 18, que foi de Silva Alvarenga (Peru), Paul Grossac (França), Francisco Rodrigues Marin (Espanha), Dardo Regules (Uruguai), Aurelio Miró-Quesada (Peru) e José Vitorino Pina Martins (Portugal).

“João Malaca Casteleiro de há muito vem trazendo o concurso do seu talento em algumas importantes atividades desta Academia. Em 1986, no Rio de Janeiro, ao lado de Lindley Cintra, trabalhou com Antônio Houaiss na confecção do primeiro texto que viria a ser concretizado em 1990 no Acordo Ortográfico. Recentemente, proferiu, nesta Casa, palestra sobre sua experiência e atividade na elaboração do “Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa”. Isto sem falar de sua produção de livros de sua especialidade”, disse Evanildo Bechara.

Saiba mais

João Malaca Casteleiro fez parte da delegação portuguesa ao Encontro de Unificação Ortográfica, realizado na ABL, em 1986. Participou, também, do anteprojeto de Bases da Ortografia Unificada da Língua Portuguesa, em 1982, assim como dos trabalhos que conduziram ao Acordo Ortográfico de 1990, firmado naquele ano, em Lisboa.

Licenciado em Filologia Românica, em 1961, com doutorado na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Casteleiro é, desde 1981, professor catedrático na mesma faculdade. Tem lecionado e coordenado a cadeira de Sintaxe e Semântica do Português, no âmbito da licenciatura, e vários seminários nas áreas da Sintaxe, Léxico e Didática, no mestrado. Foi responsável pela versão portuguesa do Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, bem como o coordenador científico do Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea e do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, editado em 2009.

Malaca Casteleiro também foi diretor de pesquisa do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa, conselheiro científico do Instituto Nacional de Investigação Científica e presidiu o Conselho Científico da Faculdade entre 1984 e 1987. Tem coordenado e colaborado em diversos projetos de investigação e de edição, em Portugal e no estrangeiro, em articulação com organismos como o Conselho da Europa, os Serviços de Educação do Governo de Macau e o Ministério da Educação, entre outros.

Sua bibliografia, iniciada com a tese de licenciatura em 1961, é constituída por muitas dezenas de títulos sobre Linguística, Didática do Português Língua Estrangeira e situação da língua portuguesa no mundo. Publicou obras como A Língua e a sua estrutura, A Língua portuguesa e a expansão do saber, Nouvelles perspectives pour l’enseignement du Portugais en tant que langue étrangère, A Língua Portuguesa em África e A Língua Portuguesa no Oriente: do Século XVI à atualidade.

11/11/2016

Também poderá gostar

Sem comentários