As candidaturas estão abertas entre os dias 15 de Janeiro e 15 de Março de 2016.

O Prémio de Literatura é concedido anualmente pela Casa da América Latina e pelo Grupo Lena, alternando entre a Criação Literária e a Tradução Literária. Em 2016, será atribuído o Prémio de Criação Literária.

Ao lançar, em 2005, o Prémio de Criação Literária e de Tradução Literária – a serem atribuídos em anos alternados -, a Casa da América Latina assumiu como principal objectivo incentivar a edição em Portugal de obras de autores latino‐americanos, bem como estimular a qualidade das suas traduções.

Após uma interrupção de um ano, o Grupo Lena associou-se à Casa da América Latina, retomando esta iniciativa com quase uma década. O acordo prevê a atribuição de um Prémio Literário – nas mesmas categorias de Criação Literária e Tradução – contribuindo assim para estimular a edição de autores latino-americanos em Portugal.

O Prémio de Literatura é concedido anualmente pela Casa da América Latina e pelo Grupo Lena, alternando entre a Criação Literária e a Tradução Literária. Em 2016, será atribuído o Prémio de Criação Literária.

As candidaturas estão abertas entre os dias 15 de Janeiro e 15 de Março de 2016.
Consulte aqui o regulamento.

Até 2012, foram atribuídos os seguintes Prémios de Criação Literária:
2006 – O voo da rainha, do escritor argentino Tomás Eloy Martínez (Edições Asa)
2008 – No céu com diamantes, do escritor cubano Senel Paz (Sextante Editora)
2010 – Somos o esquecimento que seremos, do escritor colombiano Héctor Abad Faciolince (Quetzal Editores)
2012 – Poesia Completa, do escritor brasileiro Manoel de Barros (Caminho)

Quanto aos Prémios de Tradução Literária, foram distinguidas as seguintes obras:
2007 – Malinche, da escritora mexicana Laura Esquivel, pela tradução de Helena Pitta (Edições Asa)
2009 – O inútil da família, do escritor chileno Jorge Ewdards, pela tradução de Helder Moura Pereira
2011 – 2666, do escritor chileno Roberto Bolaño, pela tradução de Cristina Rodriguez e Artur Guerra (Quetzal Editores)
2015 – Troquei a minha vida por candeeiros velhos, do escritor colombiano Léon de Greiff, pela tradução de Gastão Cruz (Edições Abysmo)

casa da america latina

Casa da América Latina, Lisboa, Portugal

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar