A Estratégia global para o reconhecimento da importância cultural, geoestratégica e económica da língua portuguesa no mundo, aprovada em Conselho de Ministros em julho de 2008, definia a promoção da Língua Portuguesa no mundo como um dos vetores da ação internacional da diplomacia portuguesa.
Entre outras linhas orientadoras, defendia “o desenvolvimento, em parceria com os Estados membros da CPLP, de uma estratégia de reforço e utilização da língua portuguesa como língua de comunicação internacional com um potencial, nomeadamente económico, cujas vantagens competitivas urge aproveitar”.
Falada atualmente por mais de 240 milhões de pessoas em todo o mundo – 3, 7 por cento da população mundial – a língua portuguesa representa, em termos económicos quatro por cento do valor mundial.
Para Portugal, esse potencial até já foi quantificado, num estudo conduzido por investigadores do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE). Realizado desde 2008, o estudo «O Valor Económico da Língua Portuguesa» permitiu concluir que as indústrias e os serviços em que a Língua Portuguesa é um elemento chave representam 17% do Produto Interno Bruto (PIB) de Portugal.
Na abertura de uma conferência dedicada ao tema, realizada no final de Novembro de 2011, o professor José Paulo Esperança – um dos coordenadores do estudo – lembrava que “uma língua é tanto mais valiosa quanto mais parceiros de utilização tiver, porque quanto mais pessoas a conhecerem, maior será esse valor”.
O docente universitário defendeu que “a proximidade linguística é um fator importante” nas relações económicas de Portugal, já que “países com uma língua comum têm maior facilidade em fazer negócios”.
Apesar de apenas 6 por cento das exportações nacionais se destinarem a países de expressão portuguesa, o saldo comercial é favorável, já que Portugal importa desses mesmos países, apenas 3 por cento do total do volume de importações, afirmou José Paulo Esperança, referindo números de então.
“Num período de dez anos, o português foi a língua que mais cresceu em termos de acesso na internet”, afirmou ainda o docente, acrescentando que a sua procura como língua estrangeira está a crescer exponencialmente em países de língua espanhola “como a Argentina e o Uruguai” onde “já é um idioma mais procurado do que o inglês”.

Estratégias de dinamização
O documento sobre a estratégia global para o reconhecimento da importância a língua portuguesa no mundo, aprovado em Conselho de Ministros, defendia que a estratégia estaria assente em vários princípios, entre os quais a “promoção da língua portuguesa enquanto instrumento para a prossecução dos objetivos de desenvolvimento do milénio” e ainda a promoção “do desenvolvimento económico através da exploração das potencialidades associadas à língua portuguesa como instrumento de comércio e negócios”.
José Paulo Esperança também defende a necessidade da definição de estratégias para a sua dinamização.
“O Português é um património superior à sua atual valorização”, disse, acrescentando que este valor abaixo das potencialidades da língua ocorre “muito por uma inércia e indefinição tanto a nível de entidades públicas como privadas”. Ler o artigo completo

Foto: Lusa – Magnata alemão, Karl Heinz Stock, abandona a Rússia para se dedicar à cultura da vinha e à escultura, em Estombar, no Algarve, 21 de Junho de 2008. LUIS FORRA/LUSA

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar