28 February 2021

Português é ensinado em Buenos Aires a alunos com necessidades especiais

Fundado em 1989, em Buenos Aires, o Instituto Los Angeles proporciona desde 1990, o ensino a crianças, jovens e adultos com necessidades especiais. Naquela instituição a Língua Portuguesa é ensinada a 45 dos 245 alunos. O programa é coordenado pelo Leitorado de Português no Instituto de Ensino Superior em Línguas Vivas Juan Ramon Fernandez e pela respectiva leitora, Irma Gonzalez.

Em Março de 1990 foi criada a turma inaugural de alunos do Instituto Los Angeles, a primeira instituição criada na Argentina na área da Educação Especial. O início do ensino do Português naquela instituição data do mesmo ano.
A instituição oferece a oportunidade a crianças, jovens e adultos com necessidades especiais, de estudarem nos níveis Primário e Secundário seguindo o currículo tradicional de ensino e concedendo certificados válidos ao ingresso no ensino superior. “Aumentando a sua autonomia, permite que se tornem cidadãos de pleno direito na busca de uma real inclusão social”, refere o documento de apresentação da instituição de ensino.
O instituto que agrega o maior número de estudantes com necessidades especiais na Argentina e proporciona quatro níveis de ensino: Primário, Setor Técnico para o Ensino Profissional, Secundário para Jovens e Secundário para Adultos.
As aulas de português são ministradas desde a abertura da instituição, mas o número de alunos começou a crescer quando o Leitorado de Português existente no Instituto de Ensino Superior em Línguas Vivas Juan Ramon Fernandez, começou a sua colaboração.

Ensino há 25 anos
“O Instituto Los Angeles tem Português como Língua Estrangeira 1 (LE1) desde há 25 anos, mas o número de alunos que escolhia Língua Portuguesa teimava em não crescer”, recorda Irma Gonzalez.
A Leitora de Português coordena um grupo de três professores que ensinam a língua de Camões naquela instituição e revela que, desde que a colaboração foi iniciada, em 2013, “o número de alunos a escolherem Língua Portuguesa como LE1 aumentou de 7 para 45”, sendo que nenhum destes estudantes é lusodescendente.
“No início da colaboração, em 2013, este Leitorado elaborou para o ILA um documento com ‘Orientações Gerais de Ensino-Aprendizagem de Português Língua Estrangeira’, com linhas de atuação para os professores de Português Língua Estrangeira destinadas à certificação de conhecimentos e à programação didática da disciplina”, recorda Irma Gonzales. Neste projeto, o Leitorado envolveu os professores de História, Geografia e Artes, para que passassem “a considerar os aspetos contidos nas linhas de orientação, na elaboração dos seus programas específicos – História de Portugal, Geografia de Portugal, etc”, explica, revelando que foi ainda crianda uma Biblioteca de Português para consultas, com obras e material cedido pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua (Camões, I.P.).
Os professores realizam anualmente formações específicas, tendo em conta o universo de alunos existente no Instituto, e para além das aulas, são dinamizadas sessões de literatura infantil e juvenil.

Buenos Aires. From the blog at www.stuckincustoms.com

Buenos Aires.
From the blog at www.stuckincustoms.com

“Levamos poetas e narradores convidados para dinamizarem atividades com os alunos, como por exemplo Fernando Aguiar em 2015. Promovemos exposições de trabalhos de alunos sobre a Língua e a Literatura Portuguesas, com a colaboração dos professores das outras disciplinas envolvidas no projeto”, revela ainda Irma Gonzalez.

Também poderá gostar

Sem comentários