O director executivo da Universidade da Cidade de Macau confirma a contratação de Rui Rocha para dirigir o ensino da língua portuguesa na instituição. Robert Chan fala em programas de intercâmbio com estudantes lusófonos e aproximações às pequenas e médias empresas.

Stephanie Lai

Os novos estatutos da Universidade da Cidade de Macau (UMC), ex- Universidade Aberta da Ásia, aguardam ainda a aprovação do Gabinete de Apoio ao Ensino Superior (GAES). Mas a instituição de ensino já lançou o projecto de reestruturação dos programas de português – que poderá resultar numa nova faculdade – e prepara a criação de intercâmbios entre estudantes chineses e portugueses. O plano de reforma, confirma o director-executivo da UCM, Robert Chan, está já a ser conduzido por Rui Rocha, director do Instituto Português do Oriente (IPOR), que termina funções no final de Agosto.

Robert Chan destaca que o novo leque de cursos de português vão estar mais direccionados para os estudantes de língua materna chinesa e gizados por Rui Rocha. Desde este mês, afirma o director-executivo da UCM, que o director do IPOR assumiu funções na instituição: além de estar à frente de todos os programas de ensino do português, Rui Rocha vai coordenar o Instituto de Estudos sobre os Países de Língua Portuguesa. O centro já converteu a maioria dos cursos para um regime diário e presencial – até aqui, as aulas funcionavam em regime pós-laboral e numa lógica de educação à distância.

Contactado pelo PONTO FINAL, Rui Rocha considerou ser ainda prematuro adiantar mais pormenores sobre o projecto.

A proposta de alteração do estatuto orgânico da UCM terá ainda de ser entregue ao GAES. Só depois de o texto aprovado, destaca Robert Chan, é que o centro de ensino de português poderá ser elevado a faculdade. A mudança de estatutos marca também a transformação oficial da UCM numa instituição de ensino sem fins lucrativos.

A Universidade da Cidade de Macau pretende recrutar mais professores para coordenarem novos cursos, sem serem online. O projecto inclui cursos de tradução português/chinês e sobre a economia dos países de língua portuguesa. Ler o artigo completo

Partilhar