1 March 2021
Foto: Pastéis de nata numa pastelaria de Jacarta, Indonésia, 22 de março de 2014. ANDREIA NOGUEIRA/LUSA

Pastéis de nata fazem as delícias dos indonésios

É difícil descobrir residentes em Jacarta que não conheçam a “Portuguese Egg Tart” (tarte de ovo portuguesa) e Loddy Lowas, que desde 2007, abriu oito pastelarias Golden Egg Tart Bakery em Jacarta e tenciona expandir-se para outros locais do país, é um dos responsáveis por isso.

Desde que o irmão lhe ofereceu pastéis de nata “inacreditavelmente bons” em Macau que Loddy Lowas ficou “louco” por este doce e, mais tarde, ao notar que se trata de um “produto de consumo diário” na China, sendo vendido inclusive nos restaurantes de ‘fast-food’ Kentuchy Fried Chicken (KFC), teve o sonho de fornecê-lo nos KFC da Indonésia.

Os indonésios preferem o pastel de nata “muito quente” (sem canela, dado que não apreciam esta especiaria) e “adoram o crocante”, observa o empresário, explicando que no maior país muçulmano do mundo não pode incluir banha de porco na receita, o que faz com que os doces fiquem menos estaladiços.

Há quatro anos, Loddy Lowas decidiu lançar pastéis de nata com sabor a durião, “uma das frutas mais famosas na Indonésia” e, ainda que o paladar original seja o preferido dos clientes, o número de apreciadores do doce com durião tem aumentado.

Apesar do sabor doce, o cheiro do durião predomina no pastel de nata feito com este fruto tropical, conhecido por ter um cheiro a meias de ginásio antigas ou a carne podre.

A padaria e pastelaria Dé Nata, cujos proprietários não responderam à Lusa, só vende pastéis de nata numa pequena banca num centro comercial da cidade, mas desenvolveu vários sabores para além do durião, como “chocolate rum”, “Tiramisu & Tropical Fruit” e “Oreo”.

São vários os locais em Jacarta que vendem as tartes de ovo portuguesas, quase sempre junto às igualmente conhecidas tartes de ovo chinesas, semelhantes no tamanho e no formato, embora mais amarelas e com menos ingredientes.

Um deles é o restaurante “Casa de Peri”, inaugurado em janeiro num centro comercial da cidade e apresentado como português por causa do seu ingrediente principal, o molho “peri”.

“As pessoas estão muito interessadas em saber mais sobre a comida portuguesa”, conta Dewi Saphira Hutagalung, que lançou o negócio com Rony Moelyadi, seguindo o conceito do Nando’s, uma marca de pratos de frango com molhos picantes que conta com centenas de restaurantes espalhados por todo o mundo.

A responsável da Casa de Peri quer vender apenas o pastel de nata com o “sabor original” e frisa que os clientes que já o provaram “adoraram”, devido à combinação “perfeita” entre o interior e o exterior.

No menu da Casa de Peri é também possível encontrar pratos espanhóis, como paelha e churros, e ainda sangria sem álcool.

A tradição do “bolu” (bolo em indonésio) no país foi iniciada pelos portugueses, os primeiros europeus a chegar ao arquipélago há cinco séculos.

AYN // PJA – Lusa/Fim

Foto: Pastéis de nata numa pastelaria de Jacarta, Indonésia, 22 de março de 2014. ANDREIA NOGUEIRA/LUSA
Foto: Pastéis de nata numa pastelaria de Jacarta, Indonésia, 22 de março de 2014. ANDREIA NOGUEIRA/LUSA

Também poderá gostar

Sem comentários