“Vamos contactar alguns centros de investigação, para fazer parcerias. Há unidades em São Paulo com a intenção de desenvolver relações mais estreitas com universidades de Portugal”, disse o ministro português, durante o fórum da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), sobre políticas para o ensino, a aquisição de capacidades e o progresso social.

O ministro encontrou-se, no domingo, com o presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Celso Laffer, para tratar de pormenores desta missão, que será liderada pelo presidente da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), Miguel Seabra.

Crato realçou que Portugal tem sido a escolha de estudantes brasileiros “excelentes”, que usam o financiamento de programas governamentais brasileiros, para estudar fora do país.

O ministro português também se encontrou com o secretário de Estado da Educação de São Paulo, Herman Voorwald, com quem debateu parcerias para a formação de professores brasileiros do ensino básico.

“O secretário mostrou interesse em conhecer o sistema português de ensino, principalmente o programa de língua estrangeira, o inglês, que está a dar resultados”, disse Nuno Crato, realçando que a visita de Voorwald a Portugal será o primeiro passo para um futuro acordo, que poderá envolver a ida de profissionais portugueses ao Brasil para desenvolver programas de formação.

FYB // MAG – Lusa/Fim


Fotos:

O ministro da Educação Nuno Crato conversa com o reitor da Universidade de Lisboa, António Cruz Serra durante a sessão de Abertura do Ano Académico 2013/14 da Universidade de Lisboa, na Aula Magna da Reitoria da Universidade de Lisboa, 27 fevereiro 2014. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA.

– Nuno Crato, explica aos alunos da Escola Secundária André Gouveia os passos para a construção de um relógio de sol, no âmbito do Programa Escola Solidária. em Évora, 30 de maio de 2012. NUNO VEIGA/LUSA

Partilhar