Durante o evento foram lidos poemas e contos de autores lusófonos, bem como se apresentou alguns documentários retratando aspectos culturais, linguísticos, turísticos e económicos dos países promotores.

Ao intervir no acto, a encarregada de Negócios a.i. da Missão Diplomática angolana no Canadá, Sofia Pegado da Silva, salientou que o valor veicular da língua portuguesa tem um potencial considerável devido ao facto de os países africanos de expressão portuguesa assumirem uma relevância no mercado de recursos naturais e ao forte crescimento populacional do Brasil.

Salientou que o carácter multicultural e multi-continental desta língua lhe confere argumentos para que seja considerada uma das principais línguas de comunicação, desempenhando um importante papel na intermediação das relações entre o Oriente e alguns países africanos em rápido processo de desenvolvimento, bem como com o Brasil.

Para o embaixador do Brasil, Piragibe dos Santos Tarrago, a língua portuguesa está na génese da CPLP, dai esta organização ter um papel relevante na consolidação e difusão da “nossa língua comum”.

O diplomata brasileiro fez um breve historial da criação da CPLP, cujo embrião partiu do encontro, em 1989, dos Chefes de Estado e de Governo de Língua Portuguesa, com a formação do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), que criou as condições para a constituição da Comunidade Lusófona.

Piragibe dos Santos referiu-se à harmonização da “língua de Camões”, através do Acordo Ortográfico assinado em 2010, que possibilitará, na sua óptica, uma maior divulgação da Língua Portuguesa, bem como promover as expressões artísticas e culturais dos membros dessa comunidade.

Por sua vez, o embaixador de Portugal, Pedro Moutinho de Almeida, focou as fases de desenvolvimento que a língua portuguesa tem conhecido, dando atenção às mudanças ortográficas engendradas para uma maior coesão entre os falantes desta Língua, espalhados nos diversos cantos do mundo.

Os presentes apreciaram a leituras dos poemas “Sinfonia”, de Agostinho Neto, “Namoro”, de Viriato da Cruz, “Paraíso apagado por um trovão”, do cabo-verdiano José Luís Tavares, “A Prometida”, do guinense Tony Tcheka, “Nyeleti”, do moçambicano Suleiman Cassamo, e “Residência”, da sãotomense Maria da Conceição.

Foram igualmente lidos os contos dos escritores Luís Cardoso, de Timor Leste, Clarice Lispector, do Brasil, e Gonçalo Tavares, de Portugal.

Alguns estudantes da língua portuguesa da Universidade de Ottawa foram contemplados com os prémios oferecidos pelas missões diplomáticas de Angola, Portugal e Brasil pelos excelentes resultados que obtiveram nessa cadeira no presente ano lectivo.

Participaram na actividade alusiva ao Dia da Língua Portuguesa, cerca de 80 pessoas dentre os quais membros das missões diplomáticas acreditadas no Canadá, membros das comunidades dos países da CPLP, estudantes da língua portuguesa, bem como membros da sociedade canadiana.

O português é a língua oficial nos oito países da CPLP (Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau e Timor-Leste) e é igualmente falado em Goa (Índia) e Macau (China). Estima-se que até 2050, 400 milhões de pessoas utilizarão a língua portuguesa em todo o Mundo.

O Dia da Língua Portuguesa e da Cultura da CPLP, celebrado a 5 de Maio, foi determinado em Julho de 2009, no decurso da reunião do Conselho de Ministros da CPLP, realizada na cidade da Praia, Cabo Verde.

 

FONTE: ANGOP

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar