A Universidade do Mindelo decidiu também atribuir o doutoramento pelo papel de Onésimo Silveira na “internacionalização do municipalismo cabo-verdiano”.

Em declarações publicadas na edição “online” do jornal A Semana, Onésimo Silveira disse sentir-se “honrado” pela distinção de uma universidade que faz um “trabalho pioneiro e de alto valor para a afirmação da cabo-verdianidade e o desenvolvimento dos recursos humanos”.

“Não tive nenhum momento de hesitação. Aceitei esta distinção com muita honra, vindo de onde vem e pelos objetivos que a Universidade do Mindelo fixou”, afirmou Onésimo Silveira, lembrando a ilha de São Vicente, onde nasceu e que sempre defendeu “com orgulho”.

Já a direção da Universidade do Mindelo diz-se “embalada” pelo sucesso que foi a organização do Doutoramento Honoris Causa do ano passado, atribuído ao antigo ministro do Ultramar de Portugal, Adriano Moreira, apesar de toda a polémica que gerou.

Desta vez, a distinção aconteceu no quadro do programa que celebra os dez anos de fundação da Universidade do Mindelo.

Onésimo Silveira nasceu em 1935 (77 anos), na ilha de São Vicente e doutorou-se em Ciências Políticas, pela Universidade de Uppsala (Suécia), em 1976, ano em que começou a trabalhar na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

Em 1977, transitou para a Agência das Nações Unidas para os Refugiados (UNHCR) com o estatuto de diplomata. Ali permaneceu até dezembro de 1990, trabalhando em países como Somália, Angola e Moçambique.

Em 1992, tornou-se o primeiro presidente eleito da Câmara Municipal de São Vicente, cargo em que permaneceu até 2001.

Em 2002, suspendeu o mandato de deputado à Assembleia Nacional e aceitou a nomeação para embaixador extraordinário e plenipotenciário de Cabo Verde em Portugal, Israel, Espanha e Marrocos.

A nível cultural, Onésimo Silveira é considerado um dos mais proeminentes membros da elite literária cabo-verdiana.

Tem inúmeros trabalhos publicados no campo da literatura (novela, poesia e romance) e do ensaio (política, sociologia e antropologia).

Onésimo Silveira também traduziu vários livros, entre os quais “Obras Completas de Mao Tsé Tung”, em parceria com Gentil Viana, e colabora regularmente, com artigos de opinião, no jornal A Semana e em revistas de Cabo Verde, Portugal, França, Suécia e Noruega.

 

JSD // VM.

Lusa/Fim

Foto: LUSA Foto de arquivo de Onesimo Silveira, 09/11/1998, MANUEL MOURA/LUSA

Partilhar