Estamos distantes, cada um na sua casa, mas todos somos vizinhos. Vivemos numa aldeia especial. E na nossa aldeia todos falamos a mesma língua. Afinal, estamos todos perto uns dos outros. Unidos pelo mar. Unidos pela língua.

Somos mais de 250 milhões. Queremos partilhar as nossas culturas, negócios, conhecimentos, amizades, afetos. A rede social lusófona Ollá+ está online – desde 20 de junho de 2013 em regime aberto – para servir todos os que falam português e que têm um particular carinho pelos oito países irmãos da CPLP.

Apesar de ter sido criado há poucos meses, o Ollá+ tem membros de Angola, do Brasil, de Cabo Verde, da Guiné-Bissau, de Moçambique, de Portugal, de São Tomé e Príncipe e de Timor-Leste, ou seja, de todos os estados da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Mas também tem uma forte presença dos nossos irmãos galegos (em séculos recuados partilhamos a mesma língua, o Galaico-Português), das diásporas espalhadas pelo mundo e de pessoas de outras nacionalidades que falam português.

O Ollá+ é uma aventura privada que disponibiliza diversas ferramentas aos seus membros. Já está disponível mais um instrumento de grande relevância: uma aplicação de donativos destinados a ações sociais, solidárias, culturais e projetos de vária ordem, coletivos ou individuais. Tudo é gratuito para os membros da nossa rede social.

O Ollá+ nunca solicitou ajuda a qualquer instituição pública. A única coisa que pediu – e continua a pedir – é que pertençam à nossa família. Mas isto não é bem pedir. É mais lembrar que todos nos podemos cumprimentar com um “Olá!”, porque… em português nos entendemos.

Uma pergunta que tem sido recorrente é esta: por que razão o nome é Ollá+ e não simplesmente Olá, como seria lógico?

A razão é simples, mas só para quem está mais familiarizado com o universo da web.

Todos os websites têm de estar registados. Tal como acontece nos livros e nas empresas, por exemplo, um nome só pode ser registado uma vez. Queríamos, claro, o nome Olá, mas já estava registado; depois escolhemos o nome mais próximo, Ollá, mas também estava ocupado; fomos obrigados a acrescentar “mais” (sinal +) e, desta vez sim, estava livre nos registos da web. Daí Ollá+.

http://ollamais.com

 

Artigo relacionado:

Partilhar