Integrado na IV Bienal de Culturas Lusófonas, uma iniciativa da Câmara Municipal de Odivelas e da empresa municipal Municipália, o IV Encontro de Escritores Lusófonos vai debater o papel da mulher na literatura, como autora e como personagem.

Sob o tema “A emergência feminina no contexto das literaturas de língua portuguesa”, autores e autoras rodarão por “quatro palcos distintos”, promovendo “debate e reflexão”, enquanto uma feira do livro ocupará a Biblioteca Municipal D. Dinis.

Segundo informação enviada à Lusa, a organização do encontro quis homenagear os escritores, como “as peças mais importantes deste mosaico que é a lusofonia”.

Entre outros, estarão presentes no encontro Ana Paula Tavares e Lopito Feijó (Angola), Beatriz Weigert (Brasil), Abraão Vicente e José Hopffer de Almada (Cabo Verde), Emílio Lima e Waldir Araújo (Guiné-Bissau), Ascêncio de Freitas e Lívio de Morais (Moçambique), José Luís Peixoto, João Ricardo Pedro, Domingos Lobo e José Fanha (Portugal), e Goretti Pina (São Tomé e Príncipe).

Para além da literatura, a programação cultural da Bienal inclui música, teatro, dança, cinema e artes plásticas.

Nuno da Câmara Pereira (dia 23) e Kussondulola (dia 26) são os destaques nos concertos, estando ainda previsto um espetáculo de canto a capella (sexta), outro de dança contemporânea (sexta, sábado e domingo) e um tributo a José Carlos Ary dos Santos (dia 24).

O teatro ficará a cargo do Núcleo de Cenas Lusófonas (domingo) e do Grupo de Teatro Lusófono (dias 24, 25 e 26) e, na quarta-feira, vai realizar-se uma sessão de “poetry slam”, concurso de poesia (no caso, nas línguas e dialetos dos países lusófonos), em que o público é o júri.

Haverá ainda projeção de filmes, entre os quais “Bafatá Filme Clube”, de Silas Tiny (dia 22), “Viagem a Cabo Verde”, de José Miguel Ribeiro (dia 24), “Kolá San Jon é festa di Kau Berdi”, de Rui Simões (dia 24), “Mupepy Munatim”, de Pedro Peralta (dia 25), e “Cartas de Angola”, de Dulce Fernandes (dia 25).

SBR // PJA – Lusa/fim.