O vampiro de Curitiba – talvez a sua obra mais conhecida -, A trombeta do anjo vingador e Guerra conjugal são os livros que dão início ao ambicioso plano editorial.Logo no início de 2013 chegam às livrarias Novelas nada exemplares, O rei da terra e A polaquinha, este último um dos poucos romances do autor.

O único título de Dalton Trevisan publicado em Portugal, O cemitério de elefantes, remonta já a 1984 e vai ser reeditado pela Relógio D’Água, com o prefácio da época de Fernando Assis Pacheco. No texto, o jornalista e escritor português aborda com humor a conhecida aversão do contista ao convívio literário e social, comentando que “ninguém sabe quem é Dalton Trevisan. Deus mesmo não sabe e nem por isso se impacienta”.

Nascido em Curitiba há 86 anos, Dalton Trevisan é um dos mais importantes criadores literários de língua portuguesa, com uma obra amplamente premiada.

Além do Prémio Camões, a mais elevada distinção da área da literatura em língua portuguesa, venceu por duas vezes o Prémio Jabuti. Depois da distinção em 1965, voltaria a ser escolhido no ano passado pelo livro de contos Desgracida. Ler o artigo completo.

 

Artigo relacionado:

close
Subscreva as nossas informações
Partilhar