25 February 2021

O VERBO: CONCORDÂNCIA ENTRE SUJEITO E PREDICADO

Regra geral: o predicado concorda com o sujeito em número e pessoa.

Ex. As crianças brincam.

– O sujeito encontra-se, habitualmente, no início da oração e precede o verbo;

– Quando tal não acontece, pode dar origem a erros de concordância:

Ex. Couberam-nos (e não coube-nos) as melhores oportunidades;

Até à hora de jantar, ainda não tinham saído (e não tinha saído), na escola onde decorrera a prova, as pautas com os resultados.

Regras particulares de concordância:

  1. Quando o predicado está precedido de um sujeito composto, o verbo coloca-se no plural: A praia e o campo são os nossos destinos de férias;
  2. Se o sujeito composto é constituído por nomes no singular ligados pela locução tanto … como e considerados globalmente, o verbo emprega-se de preferência no plural: Tanto o calor da praia como o frio da montanha fazem mal às crianças;
  3. Quando o predicado é seguido de um sujeito composto, o verbo coloca-se tanto no singular como no plural: Saiu / Saíram para jantar fora a mãe e o pai; Impressiona-me / Impressionam-me a fome e o sofrimento das crianças;
  4. Quando o sujeito é singular, mas associado a uma expressão plural, o verbo concorda com o sujeito: A afixação dos resultados despertou grande curiosidade;
  5. De igual modo, quando o sujeito é plural, mas associado a uma expressão singular, o verbo concorda com o sujeito: As declarações do Comissário serenaram o público;
  6. Com sujeitos seguidos e sintetizados por pronomes indefinidos como tudo, nada, ninguém o verbo emprega-se no singular: Bombeiros, polícias e porteiros, ninguém se magoou;
  7. Com sujeitos no singular ligados por com, junto com, em companhia de, o verbo pode ir para o plural, se este estiver colocado depois deles: A minha filha, com a prima mais velha, experimentaram /experimentou uma nova receita;
  8. Se em vez dessas expressões estiver a conjunção coordenativa copulativa e, é obrigatório o plural: A minha filha e a prima mais velha experimentaram;
  9. Com a expressão um e outro o verbo pode ficar no plural ou, menos frequentemente, no singular: Um e outro usaram / usou uma linguagem expressiva;
  10. Quando o sujeito é formado por palavras ligadas por ou e nem, o verbo emprega-se no singular, se se referir a um só sujeito: Nem tu nem ele me faria perder o sono; Ou o estalido da arma ou o trinco da porta denunciou a presença do ladrão;
  11. O verbo emprega-se no plural se a acção pertencer a todos os sujeitos: Ou a Maria ou a Joana vão querer apanhar o ramo da noiva; Nem o dinheiro nem o poder o fazem mudar de ideias;
  12. Quando o sujeito é constituído por infinitivos, o predicado vai para o singular: Deitar cedo e cedo erguer saúde e faz crescer;
  13. A primeira pessoa tem prioridade sobre a segunda e esta sobre a terceira: Eu, o Pedro e os seus primos vamos à praia; Tu e a minha irmã ides à praia;
  14. Quando a oração é introduzida por quem, o verbo vai para a terceira pessoa do singular: Foram eles quem ganhou a prova;
  15. Quando o sujeito é o pronome relativo que, o verbo concorda com o antecedente desse relativo em número e pessoa: A mulher, que está a ser entrevistada, foi assaltada; Nós, que assistimos ao assalto, ficámos amedrontados;
  16. Se o sujeito foi isto, isso, aquilo, tudo, o (aquilo) e o verbo for ser ou parecer, este concorda com o predicativo: O que dizes são disparates; Aquilo parecem estrelas; Isto são ossos do ofício;
  17. Em orações relativas com um antecedente plural, ligado à expressão um dos / uma das, um daqueles / uma daquelas, cada um / cada uma, o verbo emprega-se no plural: Este atleta foi um daqueles que mais se distinguiram na maratona; Uma das crianças, que brincavam no recreio, magoou-se;
  18. Em orações relativas com o antecedente plural, ligado às expressões estar entre, fazer parte e ser típico, o verbo emprega-se no plural: Eça de Queiroz está entre os escritores que mais contribuíram para a renovação da língua portuguesa;
  19. O verbo ser concorda com o predicativo em orações do tipo: Eram dez horas quando saí; são sete de Maio; quando acabar o relatório, serão três da manhã;
  20. Apesar do nome colectivo ter um valor plural, do ponto de vista semântico, o número gramatical é plural; por isso a concordância faz-se com o verbo no singular: O bando afastou-se da costa;
  21. Se o sujeito é constituído por expressões de quantidade do tipo milhar, milhão, centena, dezena, metade, terço, maioria parte e por um substantivo ou pronome plural precedidos da preposição de, o predicado pode ir para o singular ou plural; no entanto é preferível o uso do singular: Metade dos ovos veio (vieram) do campo; a maioria dos jovens desistiu (desistiram);
  22. Nas orações em que o sujeito é indeterminado, o verbo fica na 3ª pessoa do plural: Bateram à porta;
  23. Se a indeterminação for marcada pelo pronome se, o verbo vai para o singular: Dançou-se até de madrugada.
Pedro, Lúcia Vaz, Manual do Bom Português Atual, Calendário de Letras, 2016

Leia também:

manual

Também poderá gostar

Sem comentários